A filosofia pre-socratica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1003 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Disciplina Filosofia
A Filosofia pré-socrática


Heráclito (544-484 a.c) nasceu em Êfeso, ma atual Jonia ( Turquia).


“Tudo flui” (panta rei)


“Nunca nos banhamos duas vezes no mesmo rio”, pois na segunda vez não seremos os mesmos, e também o rio mudou. Todas as coisas mudam sem cessar, e o que teremos diante de nós em dado momento é diferente do que há pouco e do que serádepois.


Portanto não há ser estático, e o dinamismo pode bem ser representado pela metáfora do fogo. Forma visível de instabilidade, símbolo da eterna agitação do devir, “o fogo eterno e vivo, ora se acende e ora se apaga”.


Para Heráclito o ser é o múltiplo.


“Guerra é pai de todos, rei de todos”. E é da luta que nasce a harmonia, como síntese dos contrários. É pela luta dasforças opostas que o mundo se modifica e evolui.

“Tudo flui, nada persiste, nem permanece o mesmo”
“O ser não é mais que o vir-a-ser.”

Representante do pensamento dialético.

Parmênides (540-470 a.c) viveu em Eléia, cidade do sul da magna Grécia (atual Itália).

“o ente é; pois é ser e nada não é.”

Para Parmênides é absurdo pensar e impensável considerar que uma coisa ser e não ser aomesmo tempo. A contradição opõe o principio segundo o qual o “ o ser é” e o não-ser não é”. Mas tarde, os lógicos chamarão a isto principio de identidade, base de toda construção metafísica posterior.

Sócrates

Sócrates (470-399 a.c) nada deixou escrito e teve suas idéias divulgadas por dois de seus principais discípulos, Xenofontes e Platão.

“Ele supõe saber alguma coisa e não sabe,enquanto eu, se não sei, tampouco suponho saber. Parece que sou um pouco mais sábio que ele exatamente por não supor que sabia o que não sei.”

Indispôs com os poderosos do seu tempo, sendo acusado de não crer nos deuses da cidade e corromper a mocidade. Por isso foi condenado e morto.

A pergunta essencial que Sócrates tentava responder era: o que é a essência do homem? Ele respondia dizendo queo homem é sua alma, entendendo-se “alma”, aqui, como a sede da razão, o nosso eu consciente, que inclui a consciência intelectual e a consciência moral, e que, portanto, distingue o ser humano de todos os outros seres da natureza.

Sua filosofia era desenvolvida mediante diálogos críticos com seus interlocutores. Esses diálogos críticos poder ser divididos em dois momentos básicos: a ironia e amaiêutica.

Ironia, no grego, que dizer interrogar seus interlocutores sobre aquilo que pensavam saber. O que é o bem? O que é o amor? O que é a justiça? etc

A ironia socrática tinha um caráter purificador porque levava os discípulos a confessarem suas próprias contradições e ignorância, onde antes só julgavam possuir certezas e clarividências.

Maiêutica, grego, que dizer “arte de trazerà luz”. Essa fase do dialogo socrático, destina-se à concepção de idéias.


Platão

Nascido em Atenas, Platão (427-347 a.c) pertencia a uma das mais nobres famílias atenienses.
- Foi discípulo de Sócrates.
- Por volta de 387 a.c retornou a Atenas, onde fundou sua própria escola de filosófica, a Academia, no jardim construído por seu amigo Academus.
- A maior parte do pensamentoplatônico nos foi transmitida por intermédio da fala de Sócrates, nos diálogos socráticos, escritos por ele mesmo, Platão.
- Um dos aspectos mais importantes da filosofia de Platão é uma teoria das idéias, com a qual procura explicar como se desenvolve o conhecimento humano. Segundo ele, o processo de conhecimento se desenvolve por meio da passagem progressiva do mundo das sombras e aparência para omundo das idéias e essências.


O método dialético de Platão


A primeira etapa do processo de conhecimento é denominada pelas impressões ou sensações advindas dos sentidos. Essas impressões sensíveis são responsáveis pela opinião que temos da realidade. A opinião representa o saber que temos sem te-la procurando metodicamente.


O conhecimento, entretanto, para ser autentico,...
tracking img