Voz infantil em poemas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1309 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Curso de Licenciatura em Letras
Disciplina: Literatura Infanto-Juvenil

A partir da leitura dos poemas, argumente em favor ou não da escolha para um trabalho de leitura em sala de aula. Como se pode compreender a voz infantil nos poemas?


Trabalhar com tipos variados de poemas é algo inusitado e interessante, pois as respostas que podem gerar serão inesperadas e (porque nãodizer) sinceras. Ao assumirmos um trabalho com poemas diferenciados, nós estaríamos mudando a perspectiva que o aluno tem sobre literatura e estaríamos inserindo-o em um novo mundo de possibilidades sem engessá-lo a nada e proporcionando-lhe maior liberdade de leitura.
Em uma sala de aula, os possíveis trabalhos relacionados à literatura são inúmeros, podendo variar de acordo com a escolha decada livro ou poema. Quando, no entanto, essa sala de aula é composta por crianças, a escolha do material a ser utilizado em um trabalho de leitura deve ser meticulosamente avaliada, tendo em vista que esse contato que as crianças terão com a literatura poderá ser uma de suas primeiras experiências literárias. Ou seja, esse cuidado “redobrado” deve ser tomado para que, nesse processo de “formaçãode leitores”, não afaste as pessoas da literatura. Segundo Ricardo Azevedo, em seu artigo “Livros para crianças e literatura infantil: convergência e dissonâncias”:

Se há uma ‘utilidade’ da literatura na escola, muito mais que ensinar gramática e coisas assim, é a de possibilitar, no plano da expressão, o contato do leitor com uma linguagem expressiva, renovadora e poética, e, noplano do conteúdo, a discussão de temas que, no fundo, acabam sempre especulando sobre a construção do significado da existência. (1999, p. 6,7)


As crianças muitas vezes estão em processo de formação de seu gosto pela leitura. Entre o leitor e o texto deve existir uma comunhão baseada no prazer, o que não é propiciado por livros didáticos ou paradidáticos. Essa comunhão deve serinserida através de livros ou poemas que coloquem em primeiro plano a função poética da linguagem, podendo, secundariamente, abordar temas da função utilitário-pedagógica.
Em poemas como “Patacoada” de José Paulo Paes e “Bolhas” de Cecília Meireles, poderíamos trabalhar com a sonoridade existente e as figuras utilizadas nos poemas. Se aproximando da voz lúdica, encontramos a temática infantil quesão os animais e bolhas (qual criança nunca brincou de fazer bolhinhas de sabão?) e a admiração frente ao mundo ainda desconhecido e seu fascínio por essas descobertas. Isso pode ser verificado nos versos:


“A pata empata a pata
porque cada pata
tem um par de patas...”
José Paulo Paes


Nesseverso encontramos a imagem do animal (pato fêmea = pata) e também faz menção a uma parte do corpo comum aos animais em geral (pé dos animais = pata). Nesse poema poderia ser trabalhado o léxico e uma questão: “de qual pata o autor mais se refere?” que retomaria a investigação sobre o mundo desconhecido.


“Olha a bolha de sabão
na ponta da palha:brilha, espelha
e se espalha.
Olha a bolha!”
Cecília Meireles


Aqui vemos a imagem lúdica da bolha de sabão que paira na ponta da vegetação e se assemelha a outra imagem do mundo infantil como estrelas e espelhos. Então poderíamos estimular os alunos a encontrar objetos que se assemelham às imagens debolhas de sabão utilizadas no poema. Toda essa temática que, supostamente, parece simples é trabalhada na sonoridade fluída do /lh/ ou nos sons palatais e bilabiais dominados pelos /t/ /p/. O didatismo nesse caso é secundário e, o que de fato é relevante nesses dois poemas, é a forma como são abordados os temas, dando prioridade à função poética.
Podemos encontrar a mesma temática de descoberta e...
tracking img