Vida urbana e vida rural

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1282 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic] [pic]
ATIVIDADE INTERDISCIPLINAR 2011.2
INFORME CIENTÍFICO

INSTITUTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS CURSO: DIREITO
DISCIPLINA: Conhecimento e Método
PROFESSORA: Drª. Wilma de Nazaré Baía Coelho
SEMESTRE: 1º TURMA: 1DIV1 DATA: 29.09.20111º NI
ALUNOS: Ana Carolina Almeida Leite.
Dayane da Silva Negrão.
Gabriel Raimundo Nantes de Abreu.
Juliana Almendra Grippa.
Lorenna Matos de Oliveira.
Luanna da Conceição Trindade.
Verônica de Fátima Santos de Souza.

TEMA: Vida Urbana e Vida Rural
SUB-TEMA: ProjetoCarajás: As Modificações do Meio Urbano no Rural no ano de 1980.
PALAVRAS-CHAVE: Vida Urbana; Vida Rural; Grande Carajás; Pará; Amazônia.

I . Introdução
Conceituar meio urbano e meio rural é tarefa árdua, pois ambos possuem significado variado, para isso é preciso se fazer um estudo mais aprofundado das transformações ocorridas na sociedade, desde a formação da organização social, seuscostumes, crenças, cultura, valores, modo de divisão do trabalho, entre outros. Entende-se como meio rural um conjunto de regiões produtivas, cuja população desenvolve diversas atividades econômicas baseadas na agropecuária, o artesanato, o comércio, a pesca, a extração de recursos naturais e o turismo. Já o meio urbano constituiria a metrópole que é analisada como as qualidades das relações sociais dogrupo detentor dos meios de produção.
O presente trabalho tem como objetivo demonstrar o processo de urbanização que ocorreu no Sudoeste do Pará devido à industrialização proporcionada pela implantação do Projeto Grande Carajás no ano de 1980. Analisou-se questões relacionadas à violação de direitos humanos, naturais, ambientais, entre outros, com a finalidade de diagnosticar o impacto queessa implantação causou na Região.
O Projeto Carajás, oficialmente conhecido como Programa Grande Carajás (PGC), foi um projeto de exploração mineral, implantado entre 1979 e 1986, na mais rica área mineral do planeta. Foi criado pela então empresa estatal brasileira Companhia Vale do Rio Doce, durante o governo Figueiredo. Estendendo-se por 900 mil km², em uma área que correspondente a umdécimo do território brasileiro, cortada pelos rios Xingu, Tocantins e Araguaia, englobando terras do sudoeste do Pará, norte de Tocantins e oeste do Maranhão.

II . Metodologia
Para que fosse possível estabelecer critérios a respeito desse assunto, utilizou-se material totalmente bibliográfico, como livros, dissertações de mestrado, periódicos, textos avulsos fornecidos pelosprofessores do semestre. Como aporte teórico se fixou em Milton Santos, em suas obras: A Construção do Espaço, publicada em 1986 e A Urbanização Brasileira publicada em 2005, contudo foi consultada a tese de mestrado de Saint Clair Trindade Jr. intitulada “A Cidade Dispersa: Os novos Espaços de Assentamento em Belém e a Subestruturação Metropolitana, publicada em 1998, para auxiliar na elaboração dessetrabalho. Posteriormente, será realizado um aprofundamento na pesquisa teórica para fins de exposição em seminário.

III . Antecedentes ao Projeto
A Amazônia e aí inserido o Estado do Pará, desde o inicio do ano de 1970, passou a desenvolver diversas transformações industriais em seu cenário regional. Perspectivas de grandes investimentos em infraestrutura, geração de empregos, elevação dereceitas públicas, dinamizaram a economia nacional. Baseado nesse contexto, o Estado do Pará é considerado, através de altos estudos geológicos, detentor de grandes riquezas minerais, atraindo uma crescente ampliação de investimento neste setor para promover o desenvolvimento econômico.
A sociedade pré-existente ao projeto estava estabelecida em um comportamento homogêneo, possuíam os...
tracking img