Usp manual

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 49 (12122 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
ORGANIZAÇÃO INDUSTRIAL
Paulo Furquim de Azevedo Ex-Professor do Departamento de Economia da FEA/USP – economista e doutor pela USP. Professor do Departamento de Engenharia de Produção da Universidade Federal de São Carlos.

1. Introdução
O mundo real é certamente muito diferente daquele descrito nos modelos tradicionais de Microeconomia. O exame dos capítulos anteriores conduzindubitavelmente a essa conclusão. Concorrência perfeita, informação disponível sem custos e capacidade ilimitada dos agentes para solucionar problemas são elementos fundamentais aos modelos microeconômicos, mas que dificilmente (melhor dizer, quase nunca) caracterizam o mundo econômico real. Esse afastamento da realidade não necessariamente é um problema para a análise microeconômica, uma vez que seu objetivonão é representar o mundo real, mas apresentar um arcabouço para interpretá-lo melhor. Não raro, contudo, a análise microeconômica no estudo encontra de limites e que não oferece em interpretações adequadas para situações observadas na prática. Isso é particularmente verdadeiro mercados operam concorrência imperfeita. Nesse caso não é razoável supor que as empresas são tomadoras de preços. Aocontrário, empresas de grande porte têm políticas de determinação de seu preço, lançando mão de diversas estratégias - como diferenciação de produto, investimentos em tecnologia (P&D), propaganda e marketing etc. - que têm por objetivo a ampliação da capacidade da empresa de fixar seu preço acima dos custos de produção. Para lidar com problemas dessa espécie, podemos recorrer à literatura deOrganização Industrial, que surgiu como reação à incapacidade da

microeconomia tradicional em dar respostas adequadas a problemas reais das empresas e dos mercados. Este capítulo apresenta, em linhas gerais, a Organização Industrial, caracterizando suas principais linhas de pesquisa e sua contribuição à compreensão dos problemas econômicos. Tendo surgido como uma negação à microeconomia tradicional, aOrganização Industrial agrupa teorias diversas, freqüentemente excludentes, em um corpo não consolidado e, portanto, em constante transformação. Essa característica torna ingrato o trabalho de compilação do que se reúne sob o título de Organização Industrial. Neste capítulo, tomaremos algumas de suas importantes correntes, sem a pretensão de uma exposição aprofundada, apenas revelando ao leitoralgumas linhas de pesquisa relevantes ao estudo dos mercados e das firmas. A ênfase recai sobre aquilo que se convencionou chamar de Organização Industrial tradicional, compreendendo o "paradigma de Estrutura-CondutaDesempenho". O capítulo consta de três partes principais. A primeira contém os antecedentes da Organização Industrial, revelando como as distintas críticas à microeconomia tradicionalguiaram o seu desenvolvimento. A segunda apresenta alguns pontos importantes da Organização Industrial tradicional, revelando sua utilização à análise de políticas públicas. Finalmente, a terceira parte procura descrever algumas abordagens alternativas, complementando aquilo que foi exposto na segunda parte.

2. Antecedentes
Apesar dos esforços verificados na virada do século no sentido deexplicar o funcionamento de mercados oligopolizados1, costuma-se reportar a origem da Organização Industrial à década de 30, com as contribuições seminais de Hall & Hitch (939), Mason (1939) e Coase (937). O enfoque microeconômico predominante naquele momento era o marshalliano, recebendo esse nome devido às contribuições de Alfred Marshall. Segundo esse enfoque, uma empresa tinha como único objetivo amaximização de lucro, tendo pleno conhecimento de suas funções de custo e
1Dentre esses esforços, podemos destacar a escola institucionalista e os modelos de monopólio e duopólio.

de demanda. Como conseqüência, considerava-se que a decisão fundamental de uma empresa consistia em escolher o nível de operação em que o lucro fosse máximo, correspondendo à quantidade em que custo e receita...
tracking img