Uma abordagem sobre o acesso da mulher ao mercado de trabalho

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2553 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA – PUCPR
ESCOLA DE DIREITO
CURSO DE DIREITO

BEATRIZ JOUCOSWKE DE OLIVEIRA



















UMA ABORDAGEM SOBRE O ACESSO DA MULHER AO MERCADO DE TRABALHO














CURITIBA/PR
2013




UMA ABORDAGEM SOBRE O ACESSO DA MULHER AO MERCADO DE TRABALHOTrabalho entregue para a disciplina de Direito do Trabalho II, como requisito parcial de avaliação do curso de Direito, 8° período B matutino.




























CURITIBA/PR
2013


1. INTRODUÇÃO


Desde o início da organização social o que se observou foi um modelo patriarcal,onde os homens trabalhavam pelo provimento da casa e as mulheres eram educadas sob a égide de que deveriam se cuidar para seus futuros maridos, cozinhar, cuidar deles e da casa. As que se arriscavam a trabalhar fora eram apenas aquelas de renda muito baixa, e que precisavam desta forma de arrecadação para sustentar seus filhos. Entre as demais, se houvesse algum tipo de pensamento revolucionário ede equidade, estas eram consideradas imorais e sofriam grave preconceito.
Mas em meados do século XVIII, com a Revolução Industrial, que trouxe o desenvolvimento tecnológico, e somado ainda às duas Grandes Guerras que forçaram os homens a saírem de casa, restando às mulheres o sustento pessoal e de seus filhos, as mesmas se viram obrigadas a enfrentar o mercado de trabalho, e foi nestemomento que se observou a inserção do público feminino em atividades ora consideradas exclusivamente masculinas, inserção reforçada ainda pela revolução feminista da década de 70.
Ocorre que a entrada das mulheres no mercado de trabalho não foi fácil nem rapidamente aceita. Elas tiveram que enfrentar, durante anos, o preconceito e a falta de igualdade com os trabalhadores homens. E estepreconceito é visto até hoje, pois apesar da grande evolução neste assunto, ainda há inúmeras mulheres que sofrem com a violência doméstica e são obrigadas a conviver com o machismo presente em muitos ambientes de trabalho.
Com base nestes aspectos, o presente trabalho visa fazer uma perspectiva histórica, para permitir uma melhor compreensão deste que é um tema polêmico e muito abordado até osdias atuais.
















2. A INSERÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO


Conforme exposto na tese introdutória, as mulheres começaram a integrar o mercado de trabalho diante da necessidade que viram de comandar o lar e suas famílias, quando seus maridos e pais saíram de casa para as duas Grandes Guerras. Elas perceberam a necessidade de continuar com as atividades queos homens antes exerciam. Mas com o fim destas batalhas muitos não voltaram, e outros foram mutilados, se tornando impossibilitados para continuarem em suas antigas funções. Além disso, a Revolução Industrial trouxe um cenário muito oportuno para esta inserção: necessidade de mão de obra, mas pouca demanda para as indústrias que a ofereciam. Diante disso os empregadores viram no público femininouma ótima oportunidade para lucrar, pois se tratava de um grupo numeroso, mas com pouco reconhecimento, sendo mão-de-obra barata. Foi neste momento que as mulheres passaram a freqüentar também os ambientes industriais.
Com o tempo, e timidamente, elas foram ganhando um espaço, e junto com este pequeno reconhecimento vieram também regras, e as legislações passaram a abranger o trabalhofeminino, o que demonstrou um pequeno avanço na grande luta que as mulheres ainda teriam que enfrentar para alcançar a equidade laboral para com os homens. Neste sentido, concorda Elisiana Renata Probst:


“Ficou estabelecido na Constituição de 32 que “sem distinção de sexo, a todo trabalho de igual valor correspondente salário igual; veda-se o trabalho feminino das 22 horas...
tracking img