Um novo olhar sobre o “turismo do agrónegocio” no oeste baiano

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2710 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UM NOVO OLHAR SOBRE O “TURISMO DO AGRÓNEGOCIO” NO OESTE BAIANO[1]

Luzia Maria da SILVA[2]
Universidade Federal da Bahia
lumsips@gmail.com
RESUMO

Durante muito tempo o turismo esteve ligado, preferencialmente, as áreaslitorâneas, sobretudo, por causa das belas paisagens praísticas existentes em quase todo território brasileiro. Recentemente o turismo do interior começou a ganhar força, sobretudo, por causa da supervalorização e preocupação com o meio ambiente, que cada vez mais desperta nos pesquisadores questionamentos cruciais acerca do que pode ou não pode ser feito enquanto planejamento turístico. No entanto opresente artigo não tem a intenção de tratar desse aspecto do turismo e sim trazer para reflexão algo bem mais complicado, um outro tipo de turismo que para muitos nem ao menos é considerado como tal: o turismo de negócio, neste caso, do agronegócio do oeste baiano. Sendo assim, será mostrado, através de uma análise comparativa entre os Municípios de Barreiras e Luis Eduardo Magalhães como se dáas relações de exploração agroindustrial e a transformação do território em um novo chamariz turístico resultante das grandes feiras empresariais do agronegocio que a cada edição aumenta o fluxo de turistas nesta região.

Palavras chaves: turismo, agronegócio, agroindústria, território, cerrado

INTRODUÇÃO

A (re) produção do espaço é tão antiga quanto a própria história da humanidade, queinicialmente (nas comunidades primitivas) viviam em grupo e já possuíam a capacidade de memorizar, descrever e até mesmo interpretar paisagens.
Nesta época, segundo Santos (2002) a chamada pré-história corresponderia ao meio natural, no qual os grupos humanos, eram absolutamente dependentes da natureza. Com o passar do tempo e da “evolução” humana, o homem sofreu transformações e transformou seuentorno através de técnicas de produção cada vez mais avançadas na tentativa de fazer da terra o seu principal objeto de acumulação do capital.
Para tanto, os grupos precisaram se deslocar, por novas terras criando novos caminhos e desvendando novas fronteiras, que mais tarde tornar-se-iam roteiros para os grupos sucessores. Os primeiros construíam estrebarias que cobravam daqueles que buscavamanexar novos territórios, ou buscar produtos diferenciados (especiarias), a alimentação e estadia. isso fez com que o homem se deslocasse para lugares diversos dos de sua residência. De acordo com Ignarra (1999). Assim inicia-se, o turismo em termos histórico.
Falar em turismo é, sobretudo, falar em transformação do espaço, do território, do lugar, da sociedade é entender a paisagem e dela tirarproveito social, cultural e economicamente.
No Brasil, o turismo esteve ligado, sobretudo, às regiões litorâneas por causa das belas paisagens e da grande extensão de praia existente em quase todo território nacional. Na década de 1990, a preocupação com o meio ambiente e com o futuro do planeta (Eco 92), fez consolidar-se um turismo diferenciado voltado para a conservação da natureza. No nordeste oturismo do interior, recentemente passou a ser conhecido como Turismo Sertanejo, isto é, um turismo voltado para a singularidade do local, valorizando tanto a cultura quanto a paisagem, na tentativa de trazer aos lugares mais esquecidos economicamente, uma nova fonte de renda.
Porém, este artigo pretende mostrar um novo tipo de turismo, surgido a partir da exploração agropecuária eagroindustrial que transformou, nas últimas três décadas, o oeste baiano em celeiro e o Estado da Bahia em uma das regiões que apresentam maior “desenvolvimento” do país.
Foi justamente esse desenvolvimento econômico que trouxe para o Oeste, inicialmente em Barreiras, a exposição agroindustrial e mais recentemente a feira do agronegócio Bahia Farm Show, originando o que aqui será chamado de Turismo do...
tracking img