Triste fim de policarpo quaresma, de lima barreto

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 31 (7688 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de agosto de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
BIOGRAFIA
Lima Barreto (1881-1922)
Mulato, órfão de mãe aos seis anos, o pai doente mental, alcoólatra e sem estabilidade financeira. Afonso Henriques Lima Barreto teve uma existência desde cedo marcada pelo sofrimento.
Embora aluno brilhante, quando o pai adoeceu precisou afastar-se da faculdade que cursava, a Escola Politécnica do Rio de Janeiro, para trabalhar como amanuense naSecretaria da Guerra.
As experiências com jornalismo, que vinham dos tempos de estudante, continuaram e se transformaram em profissão. Em 1905, tornou-se jornalista do Correio da Manhã, e quatro anos mais tarde publicou, em Lisboa, seu primeiro romance: Recordações do Escrivão Isaías Caminha. Nesse trabalho, há fortes elementos autobiográficos, principalmente quando o autor focaliza os bastidores dosgrandes jornais brasileiros de opinião, e o tema do preconceito racial, de que sempre se sentiu vítima.
Em 1911, Lima Barreto publicou, em forma de folhetim, seu romance mais conhecido, Triste Fim de Policarpo Quaresma. Em 1914, sofreu sua primeira internação, num hospício. Foi afastado por invalidez da Secretaria de Guerra, em 1918, e passou novo período no sanatório. Em 1920, candidatou-se semsucesso à Academia Brasileira de Letras.
Vítima de um colapso cardíaco, faleceu em 1922, alguns meses depois da Semana de Arte Moderna, na mesma cidade onde nasceu e passou toda a sua vida: o Rio de Janeiro.
A proximidade entre o jornalista e o escritor torna a literatura de Lima Barreto mais coloquial e, portanto, mais acessível ao grande público.
A incorporação de recursos da crônicajornalística é visível em seus textos, nos quais a simplicidade da linguagem, sua aproximação da fala cotidiana e a ironia sempre contundente estão voltadas para a denúncia de injustiças e arbitrariedades cometidas no Brasil pós-republicano, de que o autor traça um verdadeiro painel crítico e repleto de indignação.
OBRAS DO ESCRITOR
• Recordações do Escrivão Isaías Caminha (1909)
• Triste Fim dePolicarpo Quaresma (1911)
• Numa e Ninfa (1917)
• Vida e Morte de M.J. Gonzaga de Sá (1919)
• Bagatelas
• Os Bruzundangas
• Clara dos Anjos
• Histórias e Sonhos
• Feiras e Mafuás
COMENTÁRIOS SOBRE O ESCRITOR
1 – Estilo de época
Segundo Moisés Gicovate, eis as principais características da obra de Lima Barreto:
a. – Não copiou nem imitou. Os personagens de Lima Barreto sãoarrancados de sua própria vida; escrevia por necessidade, era uma forma de libertar-se, de analisar-se a si próprio.
b. - Os escritos são, em grande parte, autobiográficos; encerram muitos fatos verdadeiros, com a interpretação de Lima Barreto.
c. - A espontaneidade e a marca de seu estilo: fazia da pena o instrumento do coração.
d. - Lançou mão da sátira, da ironia e do humor. Certo, tudoisso é um meio de defesa, ou, segundo Freud, é mesmo o principal meio de defesa. De qualquer forma, a caricatura e a mordacidade faziam ressaltar a brutalidade e o ridículo de certas situações e, na medida em que se fundamentavam na realidade, eram objetivamente válidas.
e. - A obra de Lima Barreto aborda quase tudo, no seu tempo: forma de governo, organização econômica, preconceitos de raça,a burocracia, os tráficos de influência; os grupinhos, as sociedades de elogio mútuo - sem as quais o literato era condenado à marginalização.
2) Um Precursor do Modernismo
Os críticos geralmente concordam em situar Lima Barreto entre os pré-modernistas: "Caberia ao romance de Lima Barreto e de Graça Aranha, ao largo ensaísmo social de Euclides, Alberto Torres, Oliveira Viana e ManuelBonfim, e a vivência brasileira de Monteiro Lobato o papel histórico de mover as águas estagnadas da "belle epoque", revelando, antes dos modernistas, as tensões que sofria a vida nacional" (Bosi, HCLB, Cultrix, 2a. ed., p. 344).
O período que vai de 1902 a 1922 é considerado "atípico" dentro da literatura brasileira. Tivemos uma série de "neos": neo-realismo, neo-parnasianismo, neo-simbolismo,...
tracking img