Tratamento em lombalgia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3820 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de fevereiro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CHIARA ANDRADE SILVA
LARISSA MOURA DOS SANTOS

TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO DE LOMBALGIA OCASIONADO PÓS FRATURA DE L1: ESTUDO DE CASO

Artigo científico apresentado a disciplina de fisioterapia aplicada à ortopedia e traumatologia, ministrada pelo Prof. Walderi Monteiro, do curso de fisioterapia da Universidade Tiradentes- Unit.

Aracaju
2010TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO DE LOMBALGIA OCASIONADO PÓS FRATURA DE L1: ESTUDO DE CASO

Chiara Andrade Silva e Larissa Moura dos Santos

RESUMO

As fraturas de L1 são as mais incidentes entre todos os traumas da coluna toracolombar, provocando tensão na musculatura ao seu redor e causando muitas dores após a sua consolidação. O objetivo do estudo foi analisar um tratamento fisioterapêutico paralombalgia provocada por fratura de L1. O estudo foi realizado no Centro de Reabilitação Ninota Garcia da Universidade Tiradentes, no período de fevereiro e março de 2010. No qual foram realizadas 8 sessões de fisioterapia. Foi adotado segundo fundamentação teórica alguns recursos para o alívio das algias, a diminuição das tensões musculares, aumento de flexibilidade e ganho de força da musculaturasuporte da coluna lombar. Observou-se uma analgesia e um ganho significativo na flexibilidade devido aos alongamentos, e na força devida a cinesioterapia durante o curto tempo de tratamento, utilizando para verificação desses resultados a goniometria e os testes de flexibilidade e força. Conclui-se então que a fisioterapia teve um bom resultado e trouxe ao paciente uma recuperação rápida eeficiente.
Palavras chave: Lombalgias, fraturas de L1, fisioterapia.

INTRODUÇÃO

O tronco é quem sustenta o corpo e a coluna vertebral é o seu eixo central, essa
estrutura é formada por um conjunto de ossos sobrepostos e fixados através de músculos e ligamentos que além de sustentação tem como função proteger a medula espinhal. “A coluna vertebral é o eixo do corpo e deve conciliar doisimperativos mecânicos contraditórios: a rigidez e a flexibilidade.” (KAPANJI, 2000)
A coluna está dividida em regiões de acordo com as curvaturas, são elas a cervical, torácica, lombar e sacrococcigenea; e que podem aumentar a capacidade da coluna vertebral em movimenta-se suportando uma pressão axial. “Os movimentos de que dispõe a coluna vertebral, podem ser comparados ao de umaarticulação com três graus de liberdade, permitindo flexão e extensão, flexão lateral e rotação.” (HOLBROOK, 2000)
Diz Holbrook (2000) e Kapanji (2000), que os disco intervertebrais estão aderidos aos corpos vertebrais, ajudando a absorver e distribuir as forças que agem sobre a coluna. A estrutura desse disco é muito característica, formado por duas partes: o núcleo e os anéis fibrosos, que sofremalterações estruturais, compressões e descompressões, distensão e frouxidão das fibras dos anéis a depender dos movimentos.
A coluna lombar é formada por vértebras mais volumosas, o que proporciona maior apoio para a parte superior do corpo. Qualquer alteração na curvatura lombar ou na sua estrutura resultará em uma distribuição do estresse sofrido. Os ligamentos longitudinais anteriore posterior fornecem o principal apoio ligamentar da coluna lombar. (HOLBROOK, 2000)
“Os músculos que atuam sobre a coluna vertebral podem inicialmente ser divididos em duas categorias, anterior e posterior. Os músculos de ambas as categorias existem em pares bilaterais, embora possam e de fato funcionem de modo independente (unilateralmente). Como regra geral, os músculos dacategoria anterior causam flexão da coluna vertebral, enquanto os da categoria posterior são responsáveis pela extensão. Considera-se que um músculo, o quadrado lombar, atua como flexor lateral puro.” (ROSA FILHO, 2001)
Grieve (1994) afirma que os músculos posteriores da coluna lombar podem ser divididos em três tipos: músculos interseguimentares que liga as vértebras lombares e age no...
tracking img