Transtornos emocionais e de comportamento com inicio usualmente na infância e adolêcencia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 17 (4184 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CENTRO UNIVERSITÁRIO DE PATOS DE MINAS
BLOCO “D”
PSICOLOGIA: 6º PERÍODO – NOTURNO
DISCIPLINA: PSICOPATOLOGIA II
PROFESSORA: Ms . ANDREA GONÇALVES DIAS

TRANSTORNOS EMOCIONAIS E DE COMPORTAMENTO COM INICIO USUALMENTE NA INFANCIA E NA ADOLESCENCIA

ALINE BORGE CHAGAS
CAROLINA AMÂNCIO CAIXETA
FRANCISCO GASPAR ESTEVES JUNIOR
IZA CRISTINA MARIA SANTOS
LAIANY SARA SOUSA
LAIENEFERNANDES RODOVALHO
MARIA LUIZA DE ANDRADE
MARIANA ROCHA ARAUJO GUELBER
VANESSA COELHO DE ARAUJO
ELUISIO SOUZA ROMANNI JUNIOR

PATOS DE MINAS
2012

INTRODUÇÃO
Do ponto de vista psicológico, as emoções naturais aparecem em todas as pessoas e podem ser agradáveis ou desagradáveis, capazes de nos mobilizar para a atividade, enfrentar desafios, de influir na comunicação interpessoal e atuarcomo poderosos estímulos motivadores do desenvolvimento da criança e ou da conduta humana.
Uma das reações emocionais que mais se tem estudado na atualidade nos indivíduos em consequência da má qualidade de vida e convivência com fatores estressores é sem dúvida a ansiedade. Este é um estado emocional reconhecidamente associado a múltiplos transtornos. A ansiedade pode ser considerada como umareação natural do organismo, que se produz diante de certos tipos de situações nas quais a pessoa necessitaria de recursos adaptativos extras.
Segundo o DSM-IV os quadros associados aos traços ansiosos da personalidade são: a Ansiedade de Separação na Infância, os Transtornos Obsessivo-Compulsivos, o Autismo Infantil, a Deficiência Mental e o Déficit de Atenção. Incluem-se também os quadrosassociados aos traços depressivos da personalidade, como é o caso da Depressão na Adolescência, Depressão Infantil, e outros mais sérios, associados aos quadros psicóticos, como a Psicose Infantil, Psicose na Adolescência e associados aos transtornos de personalidade, a exemplo dos Transtornos de Conduta.
“A ansiedade e o medo passam a ser reconhecidos como patológicos quando são exagerados,desproporcionais em relação ao estímulo, ou qualitativamente diversos do que se observa como norma naquela faixa etária e interferem com a qualidade de vida, o conforto emocional ou o desempenho diário do indivíduo. Tais reações exageradas ao estímulo ansiogênico se desenvolvem, mais comumente, em indivíduos com uma predisposição neurobiológica herdada. Os transtornos ansiosos são quadros clínicos emque esses sintomas são primários, ou seja, não são derivados de outras condições psiquiátricas (depressões, psicoses, transtornos do desenvolvimento, transtorno hipercinético, etc.), mas podem ocorrer casos em que vários transtornos estão presentes ao mesmo tempo e não se consegue identificar o que é primário e o que não é sendo mais correto referir que esse paciente apresenta mais de umdiagnóstico coexistente (comorbidade). Estima-se que cerca de metade das crianças com transtornos ansiosos tenham também outro transtorno ansioso”, in (Rev. Bras. Psiquiatra. vol.22 s.2 São Paulo Dec. 2000).
“Os transtornos ansiosos são os quadros psiquiátricos mais comuns tanto em crianças quanto em adultos, com uma prevalência estimada durante o período de vida de 9% e 15% respectivamente, A causa dostranstornos ansiosos infantis é muitas vezes desconhecida e provavelmente multifatorial, incluindo fatores hereditários e ambientais diversos. De uma maneira geral, os transtornos ansiosos na infância e na adolescência apresentam um curso crônico, embora flutuante ou episódico, se não tratados”, in (Rev. Bras. Psiquiatra. vol.22 s.2 São Paulo Dec. 2000).
“O Transtorno de Ansiedade na infânciae na adolescência tem sido descrito como um transtorno psiquiátrico prevalente, incapacitante e associado com prejuízos importantes ao longo do desenvolvimento do indivíduo e o tratamento é constituído por uma abordagem multimodal, que inclui orientação aos pais e à criança, terapia cognitivo-comportamental, psicoterapia dinâmica, uso de psicofármacos e intervenções familiares”, in (Rev. Bras....
tracking img