Trabalhos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1719 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Planejamento e Controle da Produção Teoria e Prática
Planejamento-mestre da Produção

Planejamento-mestre da Produção
Longo Prazo Plano de Produção

Planejamento-mestre da Produção PMP Inicial Médio Prazo Não Viável? Sim PMP Final

Curto Prazo

Programação da Produção
Planejamento e Controle da Produção: Teoria e Prática

2

Planejamento-mestre da Produção
O PMP diferencia-sedo plano de produção sob dois aspectos
o nível de agregação dos produtos: famílias x itens acabados a unidade de tempo analisada: meses x semanas

Reuniões para definição da tática a ser empregada nas próximas semanas são realizadas periodicamente
Ao final de sua elaboração, o PMP representará os anseios das diversas áreas da empresa não só quanto à programação da produção da semana que entra,como também quanto ao planejamento tático de médio prazo para as próximas semanas 3
Planejamento e Controle da Produção: Teoria e Prática

Funções do PMP
Quantidade de Vendas 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Tempo Planejamento-mestre da Produção Programação da Produção Análise e Validação da Capacidade
Planejamento e Controle da Produção: Teoria e Prática

Previsão da Demanda Pedidos em Carteira

4 Funções do PMP
A determinação dos intervalos de tempo que irão compor o planejamento-mestre está associada à velocidade de fabricação dos itens incluídos no plano-mestre e a possibilidade prática de alterar tal plano. Normalmente, trabalha-se com intervalos de semanas. Processos que tenham lead times muito altos se empregam intervalos de meses e até trimestres Porque não se emprega o leadtime real como o lead time de programação na montagem do plano? Um sistema produtivo para trabalhar de forma organizada necessita de um período de programação “congelado”, ou seja, todos dentro do sistema estarão nesse período trabalhando para atender a um plano comum, e caso esse plano se altere a cada hora, muito provavelmente não se conseguirá sincronizar os diferentes processos
Planejamento eControle da Produção: Teoria e Prática

5

Funções do PMP e ME
Como tornar mais eficaz (ME) a dinâmica de passagem do planejamento de capacidade para o de congelamento do período de curto prazo
Melhorar o relacionamento com os clientes desenvolvendo políticas de parcerias de longo prazo que garantam maior visão da demanda futura para planejamento da capacidade, bem como certeza na demandaatual para programação da parte congelada do PMP Implantar técnicas de chão de fábrica que aumentem a flexibilidade do sistema produtivo na produção de pequenos lotes, incrementando a rapidez de resposta ao mercado 6
Planejamento e Controle da Produção: Teoria e Prática

Nivelamento do PMP a Demanda
Plano-mestre da Produção

2.000 A

3.000 B Lotes Únicos Variáveis

5.000 C

C

BC

A

C

B

C

A

C

B

Lotes Padrões de 1.000 itens Horizonte de Programação do PMP

Sendo flexível, é possível explorar um conceito de planejamento de médio prazo associado à manufatura enxuta, chamado de nivelamento do plano-mestre a demanda

7

Planejamento e Controle da Produção: Teoria e Prática

Nivelamento do PMP a Demanda
A grande limitação para esse tipo deprogramação nivelada do PMP é obvia
onde se tinham três paradas para preparação de linha, agora se terão 10 preparações, uma para cada um dos 10 lotes padrões de 1.000 itens

Uma vez superada esta limitação com a implantação das técnicas da ME voltadas para o aumento de flexibilidade e da produção em fluxo (polivalência, ajuda mútua, layout em serpentina, automação, etc.), pelo menos quatrograndes ganhos podem ser listados
Entregas JIT para os clientes (internos ou externos) Redução dos níveis de estoque Lotes padrões de produção Potencial de uso do sistema puxado no abastecimento da linha

8

Planejamento e Controle da Produção: Teoria e Prática

Funções do PMP e ME
Quantidade de Vendas 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Tempo Planejamento-mestre da Produção Programação da Produção Nivelada...
tracking img