Trabalho

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1669 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
A ARTE NO EGITO

Desenvolvida às margens do rio Nilo, na África, a civilização egípcia foi uma das mais importantes da Antiguidade. De organização social bastante complexa e riquíssima em realizações culturais, produziu também uma escrita bem estruturada, graças à qual podemos, hoje, conhecer muitos detalhes dessa civilização.

A expressão artística egípcia refletiu com profundidadecada momento histórico dessa civilização. Nos três períodos em que se costuma dividir sua história- o Antigo Império, o Médio Império e o Novo Império -, o Egito conheceu um significativo desenvolvimento, em que a arte teve papel de destaque.

Entre todos os aspectos de sua cultura, porém, talvez a religião seja o mais relevante. Tudo no Egito era orientado por ela. Para os egípcios, eram aspráticas rituais que asseguravam a felicidade nesta vida e a existência depois da morte. A religião, portanto, permeava toda a vida egípcia, interpretando o Universo, justificando a organização social e política, determinando o papel das classes sociais e, consequentemente, orientando toda a produção artística.

Uma arte dedicada à vida depois da morte

A arte desenvolvida pela culturaegípcia refletiu suas crenças fundamentais. Segundo essas crenças, a vida humana podia sofrer interferência dos deuses. Além disso, a vida após a morte era considerada mais importante do que a existência terrena. Assim, desde seu início a arte egípcia concretizou-se nos túmulos e nos objetos, como estatuetas e vasos deixados juntos aos mortos. Também a arquitetura egípcia realizou-se sobretudo nastumbas e nas construções mortuárias.

As tumbas dos primeiros faraós eram réplicas da casa em que moraram. Já as pessoas sem posição social de destaque eram sepultadas em construções retangulares muito simples, as mastabas que deram origem às grandes pirâmides, que viriam a ser construídas mais tarde.

A palavra mastaba provém do termo árabe maabba, que significa “banco”, pois à distânciaesse tipo de túmulo lembra um banco de pedra ou lama. As mastabas podiam ser construídas com pedra calcária ou tijolo de barro (adobe). A câmara mortuária, em geral, localizava-se bem abaixo da base, ligando-se a ela por uma passagem em forma de poço.









A imponência do poder religioso e político

O faraó Djoser, que deu início ao antigo Império, exerceu o poderautoritariamente e transformou o Baixo Egito, com a capital em Mênfis, no centro mais importante do reino.

Desse período restaram importantes monumentos artísticos, erguidos para ostentar a grandiosidade e a imponência do poder político e religiosa do faraó. A pirâmide de Djoser por exemplo, foi construída pelo arquiteto Imotep na região de Sacará. Essa talvez seja a primeira construção egípcia degrandes proporções.

As obras arquitetônicas mais famosas, porém, são as pirâmides do deserto de Gizé, construídas por ordem de três importantes faraós do Antigo Império: Quéops, Quéfren e Miquerinos.

A maior dessas três pirâmides é a de Quéops: tem 146 metros de altura e ocupa uma área de 54.300 metros quadrados. Esse monumento revela o domínio técnico da arquitetura egípcia não foiutilizada nenhuma espécie de argamassa entre os blocos de pedra que formam suas imensas paredes.

No Egito antigo eram também construídas esfinges, figuras fantásticas, por exemplo, com corpo de leão e cabeça humana, cuja finalidade era guardar os túmulos. Juntos às pirâmides de Quéops, Quéfren e Miquerinos encontra-se a mais conhecida delas, a esfinge do faraó Quéfren. É outra obra gigantesca:tem 20 metros de altura e 74 metros de comprimento. Sua cabeça representa o faraó Quéfren, mas a ação erosiva do vento e das areias do deserto deu-lhe, ao longo dos séculos, um aspecto enigmático e misterioso.

Uma arte de convenções

Como já foi dito, a arte egípcia estava intimamente ligada à religião, servindo de veículo para a difusão dos preceitos e das crenças religiosas. Por...
tracking img