Trabalho

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1277 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
26/02/2012

Estrutura de Dados

FACULDADE ANHANGUERA DE RIO CLARO
Ciência da Computação

Estrutura de Dados

Prof. André Luiz Andreolli

Prof. André Luiz Andreolli

Estrutura de Dados

Estrutura de Dados

Vetores e Matrizes

Prof. André Luiz Andreolli

Estrutura de Dados

1

26/02/2012

Estrutura de Dados

Vetores e matrizes
• Vetores nada mais são que matrizes unidimensionais. Estruturas dedados muito utilizadas, não permitem que seus elementos sejam de tipos diferentes. • Para se declarar um vetor podemos utilizar a seguinte forma geral:

tipo_da_variável nome_da_variável [tamanho];

Prof. André Luiz Andreolli

Estrutura de Dados

Estrutura de Dados

Vetores
• Quando o C vê uma declaração como esta ele reserva um espaço na memória suficientemente grande para armazenar o número decélulas especificadas em tamanho. Por exemplo, se declararmos:

int exemplo [20];

Prof. André Luiz Andreolli

Estrutura de Dados

2

26/02/2012

Estrutura de Dados

Vetores
• O compilador irá reservar 2 x 20 = 40 bytes. Estes bytes são reservados de maneira contígua. Para acessá-los vamos escrever:

exemplo[0] exemplo[1] . : exemplo [19]
Prof. André Luiz Andreolli Estrutura de Dados

Estrutura deDados

Exemplos
#include #include int main () { int count; char expressao[5] = { 'A', 'L', 'U', 'N', 'O' }; for (count = 0; count < 5; count++) { printf("%c ", expressao[count]); } getch(); return 0; }

Aula2_01

Prof. André Luiz Andreolli

Estrutura de Dados

3

26/02/2012

Estrutura de Dados

Exemplo
#include #include #include int main () {int count; char frase[8] = "TESTE C"; char expressao[5] = { 'A', 'L', 'U', 'N', 'O' }; for(count=0; count<5; count++) printf("%c ", expressao[count]); printf("\n"); for(count=0; count<8; count ++) printf("%c ", frase[count]); getch(); return 0;

Aula2_02

}

Prof. André Luiz Andreolli

Estrutura de Dados

Estrutura de Dados

Matrizes
Forma geral de declaração:
[][ ];

Inicialização:
[] [ ] = {} ; int matriz_id [3][3] = { 1, 0, 0, 0, 1, 0, 0, 0, 1 };

Prof. André Luiz Andreolli

Estrutura de Dados

4

26/02/2012

Estrutura de Dados

Strings
• Strings são vetores de chars. Nada mais e nada menos. As strings são o uso mais comum para os vetores. Devemos apenas ficar atentospara o fato de que as strings têm o seu último elemento como um '\0'. • A declaração geral para uma string é:
char nome_da_string [tamanho];

• Pode-se declarar String em vetores facilmente. frase[ ] = “TESTE”;
Prof. André Luiz Andreolli Estrutura de Dados

Estrutura de Dados

Strings
• Caso se determine o número de posições do vetor deve-se considerar o terminado nulo. frase[8] = “TESTE C”
• Namemória estará gravada a sequência: ´T, ´E, ´S, ´T, ´E, ´ , ´C, 0x00;

Prof. André Luiz Andreolli

Estrutura de Dados

5

26/02/2012

Estrutura de Dados Strings – Exemplo
#include int main () { int count; char str1[100], str2[100]; /* Aqui o programa lê str1 que sera copiada para str2 */ printf("Str1: "); scanf("%s", str1); /* Aqui o programa lê str2 que sera copiada para str2 */printf("Str2: "); scanf("%s", str2); for (count=0;str1[count];count++) str2[count] = str1[count]; str2[count]='\0'; printf("Str2: "); puts(str2); }
Prof. André Luiz Andreolli Estrutura de Dados

Aula2_03

Estrutura de Dados

Diretivas de pré-compilação
• O pré-processador C é um programa que examina o programa fonte escrito em C e executa certas modificações nele, baseado nas diretivas depré-compilação. • Essas diretivas são comandos que não geram código, sendo dirigidos ao pré-processador, que é chamado pelo compilador antes do processo de compilação propriamente dito.

Prof. André Luiz Andreolli

Estrutura de Dados

6

26/02/2012

Estrutura de Dados

A diretiva include:
A diretiva #include diz ao pré-processador para incluir naquele ponto um arquivo especificado. Sua sintaxe é: #include...
tracking img