Torneamento pratica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1942 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Federal de São João del Rei










Pratica de Torneamento e Rugosidade



























Rhander Maciel Matos 090800107
1 - Resumo

Neste relatório estão contidos dados e resultados experimentais de uma prática de torneamento onde são estudadas as variações da potência de corte (Pc), força de corte (Fc), rugosidade médiadas amostras (Ra), rugosidade de pico a vale (Ry), em função da variação dos parâmetros de corte: avanço (f), profundidade de corte (ap) e velocidade de corte (Vc).



2 - Planejamento do Experimento


Dentre os objetivos deste trabalho, destacam-se o da obtenção de dados experimentais através da variação das condições de usinagem na forma do cavaco e rugosidade da peça usinadapara termos condições de fazermos uma análise do processo de torneamento.
As variáveis no processo de torneamento são o avanço (f), a profundidade de corte (ap), a velocidade de corte (Vc), a curvatura vertical (ω), a curvatura lateral (θ), o ângulo de saída (γ) e o tipo de material a ser usinado. Neste trabalho será usada para usinagem da peça apenas um tipo de ferramenta em um únicomaterial, tornando-se os ângulos (ω,θ,γ) e o material constantes, tendo assim, como variáveis a velocidade de corte, o avanço e a profundidade de corte.
Serão realizadas três condições de Usinagem, utilizando um centro de torneamento COSMOS 30 ROMI – Rendimento 90%, fazendo o monitoramento da potência consumida no motor e medindo as rugosidades em cada amostra.
O monitoramento da potênciaserá realizado de forma indireta, ou seja, medindo a corrente total (corrente de trabalho) e a corrente do motor em vazio.
A corrente foi medida utilizando um sensor de efeito hall 0,1 v/a que monitora a corrente no motor. Para transformar o sinal analógico em digital será usada uma placa digitalizadora.
Serão realizados três (3) experimentos, usinando quinze (15) corpos de prova,sendo cinco (5) para cada condição de usinagem diferente.
No 1o experimento, serão mantidas constantes a velocidade de corte (Vc) em 310 m/min, variando em duas profundidade de corte (ap) 1,5 e 2,5 (mm) e dois avanço (f) 0,15 e 0,25 (mm/rot);


No 2o experimento, serão mantidas constantes a velocidade de corte (Vc) em 380 m/min, variando em duas profundidade de corte (ap) 1,5 e 2,5(mm) e dois avanço (f) 0,15 e 0,25 (mm/rot);


Em todos os experimentos serão medidos os valores da rugosidade de cada peça através de um rugosímetro portátil MITUTOYO SURFEST.

Para este experimento será utilizada a ferramenta TNMG 160408-PF, onde:
TNM --- Especifica o material a ser usinado.
G--------- indica que a pastilha é furada.
16--------Tamanho da aresta.
04--------Espessura dapastilha.
08--------Raio da ferramenta ((r)
PF--------Pastilha para acabamento
3 - Introdução teórica

3.1 - Potência de corte

Para se determinar o valor da potência elétrica consumida por uma máquina tem-se:

Pmáq = V * I (I),

Onde: P = potência [W];
V = tensão elétrica [V];
I = corrente elétrica [A].

Para se obter o valor em [Kw], tem-se:

Pmáq = [pic](II)

Para se obter a potência de corte (Pc) para uma operação de torneamento tem-se:

Pmáq = [pic] => Pc = Pmáq * η (III),

Onde: Pc = potência de corte;
η = rendimento da máquina.

Se substituirmos a equação (II) em (III), temos:

Pc = [pic] (IV)

Para o caso deste experimento, para se obter os valores das potências de corte, será medido, primeiramente o valor dacorrente a vazio (I0), ou seja, com a peça girando sem o contato com a ferramenta de corte; depois para cada condição de corte especificada mediremos a corrente de trabalho (It); portanto a equação (IV), para um valor de tensão da máquina de 380V e um rendimento de 90% da máquina, fica:

Pc [Kw] = [pic] (V)











3.2 - Força de corte

Uma máquina-ferramenta gera...
tracking img