Teoria da moeda

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 20 (4894 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
INDICE

1) INTRODUÇÃO
2) EVOLUÇÃO HISTÓRIA DA MOEDA

a. O Escambo
b. As Mercadorias - moeda
c. O Metalismo
d. A Moeda - Papel
e. O Papel – moeda
f. A Moeda Escritural

3) EVOLUÇÃO DOS INSTRUMENTOS MONETÁRIOS E AS FUNÇÕES DA MOEDA
4) OS MEIOS DE PAGAMENTO NAS ECONOMIAS MODERNAS
5) A MOEDA ESCRITURAL E SEU EFEITOMULTIPLICADOR
6) ALGUMAS OBSERVAÇÕES SOBRE AS VARIAÇÕES DO VALOR DA MOEDA
a) A Teoria Quantitativa:

CONCLUSÃO
BIBLIOGRAFIA

TEORIA GERAL DA MOEDA

INTRODUÇÃO

Unidade de valor padrão utilizada como instrumento de troca por uma comunidade. É o meio pelo quais os preços são expressos, as dívidas liquidadas, as mercadorias e serviços pagos e a poupança efectuada. A moedacorrente é o dinheiro oficial de um país para todos os tipos de transacções. Como o controle da moeda é vital não apenas para o equilíbrio da economia de um país mas também para as relações comerciais entre nações, é criado um sistema monetário internacional. Moeda e crédito são um dos termos que mais despertam a atenção em economia, sobretudo em épocas de variação do valor da moeda, de inflação.Devido à inflação, o assunto moeda é provavelmente o que mais prende a atenção do público em geral, sendo ao mesmo tempo o assunto menos acessível aos leigos. O que o povo entende por dinheiro e o que os especialistas entendem são coisas totalmente diferentes. A partir daí, as regras do jogo da determinação do volume da moeda, da sua circulação e assim por diante estão, para o leigo, envolvidas poruma densa nuvem de mistério tecnocrático. Mas além de tudo isso, o que veremos foi a tamanha evolução sofreu a moeda desde sua criação, seus aspectos fundamentais e suas estruturas nos dias actuais.

1. EVOLUÇÃO HISTÓRIA DA MOEDA

Origem – Na Antiguidade, as mercadorias produzidas numa comunidade serviam como meio de pagamento para suas transacções comerciais. Destacava-se sempre umaentre as demais. Como moedas, já circularam peles, fumo, óleo de oliva, sal, mandíbulas de porco, conchas , gado e até crânios humanos. O ouro e a prata ganham rapidamente preferência devido à beleza, durabilidade, raridade e imunidade à corrosão. Os primeiros registos do uso de moedas metálicas datam do século VII AC, no reino da Ásia Menor e também na região do Peloponeso, ao sul da Grécia . Opapel moeda (as notas) surge no século IX na China. A Suécia é o primeiro país europeu a adoptá-lo, no século XVII. Fácil de transportar e de manusear, o seu uso difunde-se com rapidez. Até então, a quantidade de moedas correspondia ao volume de ouro ou prata disponível para cunhagem. O papel moeda, por não ser feito de metal, permite o aumento arbitrário da quantidade de dinheiro. Para combater odesvio, institui-se o padrão ouro, em que o volume de dinheiro em circulação deve ser igual ao valor das reservas de ouro de um país depositado nos bancos. Mesmo assim, tornou-se comum a emissão de notas em quantidades desproporcionais às reservas e que não tinham, em consequência, o valor declarado. Tal prática leva à desvalorização da moeda, cuja credibilidade depende da estabilidade da economianacional e da confiança junto aos órgãos internacionais. Hoje, as moedas são feitas de níquel e alumínio e o seu valor nominal é maior que o de fato.

1. O Escambo

Os primeiros grupos humanos, em geral nômades, não conheciam a moeda e recorriam às trocas directas de objectos (chamada de escambo) quando desejavam algo que não possuíam. Esses grupos, basicamente, praticavam uma exploraçãoprimitiva da natureza e se alimentavam por meio da pesca, caça e colecta de frutos. Num ambiente de pouca diversidade de produtos, o escambo era viável. Nos primeiros momentos históricos em que a divisão de trabalho começou a ser praticada, estruturaram-se primitivos sistemas de trocas, inicialmente baseados no escambo. Como ainda não haviam sido desenvolvidos sistemas monetários, as trocas...
tracking img