Sole mar produto turistico

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 28 (6939 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de março de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade de Évora Escola das Ciências Sociais Departamento de Sociologia Curso de Turismo Unidade Curricular de Produtos Turísticos

Produto Turístico: Sol e Mar

Índice Introdução ……………………………………………………………………………………3 Processo Evolutivo da História da Época Balnear ………………………………………4 Do Turismo ao Enquadramento do Produto Turístico no PENT ……………………….5 Produto Turístico…………………………………………………………………………….7 Perfil do Consumidor ……………………………………………………………………….9 Motivação Principal do Produto Sol e Mar ………………………………………………12 As regiões sol e mar ……………………………………………………………………….13 Fases de Desenvolvimento ……………………………………………………………….15 Entidades a envolver ………………………………………………………………………16 Destinos Concorrentes ……………………………………………………………………17 Marketing, Promoção e Comercialização ……………………………………………….17 Necessidades Emergentes ……………………………………………………………….19 AcçõesRealizadas ………………………………………………………………………...20 Cadeia de Valor ……………………………………………………………………………21 Targeting ……………………………………………………………………………………22 Clienting …………………………………………………………………………………….23 Aspectos de estruturação …………………………………………………………………23 Instrumentos de Apoio e Propostas de Actuação para o Desenvolvimento………...24 Análise Crítica ……………………………………………………………………………...25 Conclusão………………………………………………………………………….............27 Bibliografia / Referências Bibliográficas Electrónicas ………………………………...28 Anexos ………………………………………………………………………………….…..29

2

Introdução Dos 10 produtos contemplados no PENT, o Sol e Mar que aparentemente faz parte de um desses dez, apresenta características muito peculiares, nomeadamente pelo facto do mercado europeu de Sol e Mar representar um mercado maduro. Este facto prende-se por em 2004 este produto representar 69 milhões deviagens e estima-se que em 2015 se tudo correr como o previsto, atinja os 80 milhões das viagens efectuadas, o que é um número bastante elevado. Sabe-se também que 27% dos consumidores têm origem na Alemanha, enquanto 14% são provenientes do Reino Unido. A despesa diária efectuada por este produto é bastante divergente. Se para um segmento regular os gastos diários rondam os 80 euros, por outrolado no segmento upscale, isto é de elevada categoria e qualidade, já são cerca de 600 euros por dia. Atendendo à complexidade do produto Sol e Mar, analisaremos este produto sob o ponto de vista da importância do Plano Estratégico Nacional do Turismo. Também estudaremos o processo evolutivo da história do Sol e Mar respeitante à época balnear, para que assim seja mais explicito o conceito doproduto que vigora actualmente. As áreas de maior incidência deste produto, o perfil do consumidor, as suas principais motivações, os principais destinos concorrentes, as acções já realizadas e as necessidades emergentes, também farão parte do corpo de desenvolvimento deste trabalho. A questão do marketing e de lançamento deste tipo de produto, será outra relevante questão debatida nesta abordagem, namedida que não basta um produto ser bom, é preciso encontrar a forma correcta de o vender e aliciar aos seus consumidores. São vários os instrumentos de apoio e propostas de actuação ao desenvolvimento, ajudando deste modo a clarificar o produto Sol e Mar em Portugal. O Algarve já detém o produto Sol e Mar como maduro. Lisboa, necessita de revitalizar este produto. Por outro lado, o Alentejo éainda um lugar virgem e inexplorado, mas com grandes potencialidades também ao nível de Sol e Mar, à espera que o lancem no Mercado e que acreditem nas suas capacidades.

3

Processo Evolutivo da História da Época Balnear A função balneária surge na Europa em meados do século XVIII, numa primeira fase ainda sob princípios medicinais e terapêuticos, receitado por médicos, sendo a água do mar asalvação e a melhoria para certas doenças que as pessoas apresentavam na época. O mar, a salinidade da água, o sol, a brisa e a paisagem marítima, surgem nesse período como uma fuga para o restabelecimento físico e mental da camada mais elitista. No século XIX, as praias ganham uma função social,...
tracking img