Sociedade direito a cidadania

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1863 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]


ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS




















JORDANA LOURENÇO GOMES
POTIRA SOUZA SANTOS
















SOCIEDADE, DIREITO E CIDADANIA


































PORTO SEGURO
2012



JORDANA LOURENÇO GOMES
POTIRA SOUZA SANTOS
















SOCIEDADE,DIREITO E CIDADANIA













Atividade apresentada Universidade Salvador (UNIFACS)
Do curso de Administração.
Da disciplina de Sociedade, Direito e Cidadania.Professora: Leila Guevara.
Tutora: Leila Ferreira Sales.



















PORTO SEGURO
2012



SUMÁRIO




1. QUESTÃO 01 ...................................................................... 04








2. QUESTÃO 02......................................................................06







3. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA .................................07



.

































3

1) O ano de 2011 estourou na mídia vários escândalos referentes ao Trabalho Escravo elabore a resposta desta questão da seguintes forma:
• Introdução: aspectos históricos, conceituais e etc;
• Desenvolvimento: Exemplos dassituações ocorridas no Brasil e no Mundo;
• Conclusão: A sua apreciação e comentários sobre a temática proposta;

TRABALHO ESCRAVO – VERGONHA EXISTENTE

Ao se falar em escravidão lembramos os países africanos, mas a história da escravidão começou na Idade Antiga com os negros e prisioneiros de guerra. Eles não foram os únicos escravizados, os direitos básicos também eram negados asmulheres da época.
Como a escravidão era aceita, tornou-se essencial para a economia e o enriquecimento dos produtores e dos ricos.
No Brasil, os índios foram os primeiros escravizados, pois os moradores mais pobres não tinham condição de adquirir escravos africanos.
Com o início da produção canavieira e a falta de pessoas para trabalharem nas lavouras, os donos de terras iam buscar mãode obra escrava das colônias da África. Os escravos eram vistos como mercadorias e em muitos casos sendo tratados piores que os animais. Eram transportados nos porões dos navios negreiros em condições desumanas.
Essa situação de escravização durou por quase três séculos, mas a longa batalha dos abolicionistas começou a ter efeito em setembro de 1971 com a criação da Lei do Ventre Livre, queproibia trabalho escravo aos menores de 18 anos, e a Lei dos Sexagenários, que libertava os adultos acima de 60 anos. Mas a grande vitória se deu em 13 de maio de 1888, quando foi sancionada a Lei Áurea, cuja finalidade era a libertação de todos os escravos existentes no Brasil.
Após um século de aprovação da Lei Áurea, ainda encontramos pessoas escravizadas em lavouras e grandes fazendas. Maspara que a lei seja cumprida é preciso que se faça valer a Constituição que rege o nosso país.
O artigo 149 do Código Penal diz que: reduzir alguém a condição análoga a de escravo, quer submetendo-o a trabalhos forçados ou a jornada exaustiva, quer sujeitando-o a condições degradantes de trabalho, quer restringindo, por qualquer meio, sua locomoção em razão de dívida contraída com o empregadorou preposto (Redação dada pela Lei nº 10.803, de 11/12/2003).
Após a I Guerra Mundial, foi criada pela Conferência de Paz a OIT (Organização Internacional do Trabalho), que se fez a legislação trabalhista internacional, baseada nos seguintes argumentos:
• Humanitários: condições injustas, difíceis e degradantes de muitos trabalhadores;
• Políticos: risco de conflitos sociais...
tracking img