Segunda fase do modernismo no brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (383 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIARAXÁ) Leia o fragmento abaixo transcrito da obra “Vidas Secas” e responda à questão a seguir:

Vivia longe dos homens, só se dava bem com animais. Os seus pés duros quebravam espinhos e nãosentiam a quentura da terra. Montado, confundia-se com o cavalo, grudava-se a ele. E falava uma linguagem cantada, monossilábica e gutural, que o companheiro entendia. A pé, não se aguentava bem. Pendiapara um lado, para o outro lado, cambaio, torto e feio. Às vezes, utilizava nas relações com as pessoas a mesma língua com que se dirigia aos brutos – exclamações, onomatopeias. Na verdade falavapouco. Admira as palavras compridas e difíceis da gente da cidade, tentava reproduzir algumas em vão, mas sabia que elas eram inúteis e talvez perigosas. (Graciliano Ramos)

No texto, a referência aospés:

(A) Constitui um jogo de contrastes entre o mundo cultural e o mundo físico do personagem.

(B) Acentua a rudeza do personagem, em nível físico.

(C) Justifica-se como preparação para o fatode que o personagem não estava preparado para caminhada.

(D) Serve para demonstrar a capacidade de pensar do personagem.

(E) nda


“No meio do caminho” representa uma das criações de CarlosDrummond de Andrade. Assim, ei-la logo abaixo, cuja intenção é fazer com que você explicite algumas considerações acerca das ideologias que demarcaram a carreira artística deste nobre representante denossas letras. Lembre-se de enfatizar acerca do contexto histórico que demarcou a época a que pertenceu Drummond:

No meio do caminho

No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meiodo caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra.

Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinhauma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma pedra

(PUC-RS)

Não faças versos sobre acontecimentos.
Não há criação nem morte perante a poesia.
Diante dela, a...
tracking img