Schopenhauer

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1123 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
VONTADE, FENÔMENO E REPRESENTAÇÃO

A vontade é infinita e jamais saciada, ao que se acrescenta que a base de todo querer é uma falta. A vontade age em e por meio de nosso corpo, livre e inconscientemente sem se deixar subjugar pelo intelecto. Ela expressa-se no ser humano através do desejo de manter-se vivo, na vontade de querer-viver ao máximo, tendo como inimiga amorte. O homem precisa da dor enquanto falta necessária à vontade para viver, mas não reconhece em si tal condição e por isso, atribui a causas exteriores, tanto o seu bem quanto o seu mal.

O homem é definido em três tipos de caráter: Caráter inteligível é a vontade em si no homem, caráter empírico é a incorporização da vontade no espaço e no tempo por meio da conduta do homem, e ocaráter adquirido, que se forma a partir das relações do homem com o mundo. Seu caráter empírico informará ao seu caráter inteligível a sua vontade após a sua concretização. Formando assim o mundo como representação.

Vontade=Coisa em si. Mundo=Fenômeno, Espelho da vontade. Ou seja o indivíduo também é fenômeno.

O fenômeno é submetido às categorias da razão e está entrelaçado àquestão da necessidade. A vontade, por ser a coisa em si, é livre e não tem nenhuma relação com a necessidade. O fenômeno e a vontade entram em contradição. O mundo, como objetividade da vontade é fenômeno, portanto ligado à questão da necessidade, enquanto que a vontade é livre, ou seja, a pessoa não é livre, mas sua ação no mundo, que refere-se à vontade é. O mundo é onde o homem pode reconhecer avontade. Isto porque a vontade como essência, como coisa em si, é inconsciente em si mesma, necessitando da ação do homem para tornar-se consciente.

Relacionando a música com essa vontade insaciável, percebemos como músicos e compositores estão constantemente minados pelo desejo da perfeição, sempre buscando aprimorar sua técnica e suas habilidades, e como a música é infinita, apenas umavida é pouco para explorá-la.




VALORES DA VIDA: SOFRIMENTO, DOR E TÉDIO

Vimos que para Schopenhauer a vontade é a “alavanca do mundo”, ela é quem impulsiona a vida e nossas atitudes e decisões. Porém ele também afirma que a dor e o sofrimento são provocados justamente pela vontade, por isso sua filosofia era conhecida como sendo realista-pessimista.

Tendo em vista esseaspecto da vida, Schopenhauer procura fundamentar o porquê que o ser humano vive em constante tédio, dor e sofrimento. Ele explica: "a vida é um pêndulo que oscila entre o sofrimento e o tédio”. Tendo por base os princípios de sua filosofia pessimista, entendemos que o ser humano está sempre oscilando entre o sofrimento e o tédio pois na vida buscamos estabilidade e conforto, o caminho para essameta nos faz sofrer, pois mesmo tendo alcançado um objetivo projetado, olhamos cada vez mais a frente, desse modo a satisfação nunca é encontrada, nem a estabilidade e nem o conforto. Para fugir dessa dor que persegue a vida, o homem procura o prazer, mas sendo apenas momentâneo o prazer também é uma busca constante, uma forma de suprir o sofrimento.

Outro aspecto importante de suafilosofia, que alivia esse peso da vontade, é que as artes para ele é uma maneira de superar a vontade. Acima de tudo, Schopenhauer acredita que a música é a arte perfeita, a mais suprema pois consegue traduzir o espírito do homem, universalizada cruzando as barreiras da individualidade, é o paradigma do belo.

AS CARACTERÍSTICAS DAS ARTES E SUA IMPORTÂNCIA NA LIBERTAÇÃO E ASCESE DO INDIVIDUOVimos que as artes para Schopenhauer é considerada como a mais pura forma de libertação do ser humano de suas vontades. É através destas que o ser humano pode expressar seus desejos mais puros(essência), suas ideias. Uma vez repreendida suas vontades, o ser passa a obter conhecimentos não mais individualizados, e se torna um sujeito "puro". Schopenhauer ainda diz que, mesmo a pessoa que...
tracking img