Rousseau, montesquieu e adam smith

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 20 (4943 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Rousseau


1) De acordo com Rousseau, o homem nasce livre e bom por natureza, contudo as Instituições e o poder político o corrompem. O poder corrupto aparenta ser o poder absoluto e não se pode eliminar qualquer poder político, portanto, Rousseau difere-se das anarquistas. A democracia direta é a única forma de preservar a liberdade dos homens, visto que neste regime, toda a limitação daliberdade é oruinda do consentimento prévio. A submissão das minorias às maiorias tem a forma de um contrato social entre todos e cada um dos membros da sociedade para o bem geral. Deste contrato social deriva uma associação com identidade e subjetividade, expressão da vontade geral. O contrato social conduz a uma vontade geral e cria um poder soberano infalível, inalienável e indivisível.

Lockeadmite que há direitos naturais inalienáveis, inseridos por Deus nos seres racionais e esses direitos naturais existem antes mesmo de ser instituída a sociedade política, a qual é assim é de forma voluntária pelos homens, através do contrato, a fim de eliminar as ocasionais transgressões de tais direitos. Os principais direitos são o direito à vida, à integridade física, direito de ir e vir, àpropriedade. Esses direitos só podem ser limitados ou abolidos pelo consentimento, contrariando a legitimidade de todos os poderes políticos que não se baseiam no consentimento. O governo legítimo deriva do pacto social, do contrato, do consentimento. É por este pacto que há a limitação dos seus direitos naturais em favor da segurança oferecida pela sociedade.
Hobbes afirma que há um direito natural,o qual todos os seres racionais devem aprender. Tal direito tem autoridade, porém não é qualquer poder que o faça respeitar no estado de natureza. A segurança é obtida por um contrato social apresentado em duas fases: entre cada um e todos os homens para instituírem o soberano que governará e entre os homens e o soberano a quem entreguem o poder de fazer executar e cumprir o contrato social. Asdivergências aproximam a teoria de Rousseau do modelo tradicional ou aristotélico de explicação da origem do Estado, posto que no modelo aristotélico tradicional, a legitimidade vem da natureza, sendo que o Estado é resultado do crescimento de esferas sociais menores, desde a família, a legitimidade é dada pelo pátrio poder. O soberano assume para os súditos a figura de pai. Para Rosseau, o Estadonada mais é do que a reunião do conjunto dos indivíduos e deve ser a expressão da vontade geral, ou seja, resultado das vontades individuais no tocante às questões comuns e coletivas.


2) A vontade geral está associada à organização política da sociedade e se contrapõe à vontade própria dos indivíduos no estado de natureza. De acordo com Rousseau, deve-se interpretar a vontade geral comodemonstração da voz da maior parte dos cidadãos. Nota-se o caráter prescritivo do conceito, que torna moralmente necessário à minoria aceitar a vontade representativa do grupo. Os anseios individuais dos cidadãos estão em segundo plano em relação à vontade da coletividade e as leis estabelecidas pela soberania devem garantir o respeito a essa vontade geral. O problema de Rousseau é encontrar uma formade agregação que defenda e abrigue os indivíduos e os bens de cada associado com toda a força comum, e pela qual cada um, juntando-se a todos, só obedece, entretanto a si mesmo, permanecendo assim tão livre quanto antes, isto é, tão livre quanto vivia no estado de natureza. Se os indivíduos são naturalmente livres e iguais entre si, então a única forma de associação política legítima seria aquelacomposta pelos próprios indivíduos de maneira voluntária, na qual eles mesmos admitiriam seus direitos e suas obrigações políticas, posto que cada um dos membros do corpo político juntando-se a todos, só obedece, todavia a si mesmo, conservando-se assim tão livre quanto antes. Rousseau procurava uma forma de fundar o corpo político sobre a soberania popular, sem que fosse preciso limitá-la,...
tracking img