Rousseau - arte e cultura

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1018 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1-  Qual é a temática central da obra?

 

No Discurso sobre as ciências e as artes, Rousseau articulou o tema fundamental que perpassa sua filosofia social: o conflito entre as sociedades modernas e a natureza humana, ressaltando o paradoxo da superioridade do estado selvagem, proclamando a "volta à natureza". Ao mesmo tempo, denuncia as artes e as ciências como corruptoras do homem.Constata-se um elogio à cultura, o que a nós, em princípio, parece uma contradição. Sabendo de antemão de toda a crítica à história e à sociedade formulada por ele no texto, em princípio percebe-se ser ele um defensor do desenvolvimento da cultura, não muitas páginas depois, por uma inversão de valores, as imagens e as ideias sobre o espetáculo do nascimento das artes e das ciências que põe sob osolhos dos leitores, não são mais do que mentirosas. Todavia, este enaltecimento não é continuado e sim criticado.

A forma como o autor utiliza sua escrita e retórica é capaz de reverter quaisquer argumentos. Se em princípio achamos ser ele um defensor do desenvolvimento da cultura, não muitas páginas depois, por uma inversão de valores, as imagens e as ideias sobre o nascimento das artes e dasciências que põe sob nossos olhos não são mais do que mentirosas. Rousseau passa de adorador a crítico e se propõe um opositor da sociedade letrada que promoveu a degeneração dos costumes morais que os homens desenvolveram continuamente na ingenuidade da convivência cotidiana, que corrompe a natureza do homem.

 

2-  Qual é a posição de Rousseau em relação as ciências e artes? Justifique suaresposta a partir dos argumentos apresentados no texto.

 

Segundo Rousseau, as artes e as ciências não têm capacidade de transformar as pessoas porque provêm dos seus vícios e não das virtudes.

Dentro dessa perspectiva, Rousseau acrescenta, “[...] nossas almas se corromperam à medida que nossas ciências e nossas artes avançaram no sentido da perfeição.” Há uma clara dicotomia entre “ser” e“parecer” no discurso rousseauniano e o que diz respeito à ciência e à arte em geral diz respeito à vida do homem em sociedade e, portanto, é artificial . E se a moralidade nasce das paixões e dos sentimentos naturais, o vício ocorre como um desvio da própria natureza. No fundo, Rousseau afirma que os homens moralmente mais valiosos são os mais simples, portanto, esse aprimoramento das artes e daciência, o afastam dessa simplicidade e o aproxima de uma complexidade, que na visão de Rousseau se baseia na vaidade e na artificialidade.

 

3-  Em linhas gerais, como podemos caracterizar a ética das virtudes defendida por Rousseau?

Rousseau diz que o homem é bom por natureza e seu espírito pode sofrer aprimoramento quase ilimitado. Para ser virtuoso basta que o homem siga os sentimentosnaturais mais que a razão. Para o filósofo a natureza não é boa porque algum homem assim o quis, ela é boa por consequência de uma ordem necessária na qual não impera a vontade ou os caprichos humanos: a natureza é boa porque é, ou seja, existe. A ideia central do seu pensamento, se fundamenta na convicção da bondade natural do homem, condição esta que o faz necessariamente feliz. Portanto, anatureza do homem, para Rousseau, é a sua liberdade, pois da disciplina natural das paixões nascem os verdadeiros valores morais.

4-  Cite uma ideia que lhe chamou atenção na obra. Justifique sua resposta.

A corrupção do luxo mencionada por Rousseau. O filósofo desenvolve essa questão ao dimensionar o que importante dentro de um império, se é serem brilhantes e momentâneos, ou virtuosos e duráveis,mas ambos baseados na dissolução dos costumes, como consequência inerente do luxo, acarretaria a corrupção do gosto. A medida que as artes se aperfeiçoavam e o luxo se espalhava, a coragem e as virtudes se debilitavam, na visão rousseouniana.

Contudo, Rousseau informa que, quando o gosto ainda não havia se corrompido, nem as paixões degeneraram, e, "antes que a arte polisse nossas...
tracking img