Resumo um toque de classicos marx

Karl Marx em sua teoria faz uma análise da sociedade capitalista. E usa em suas formulações o método dialético que cuida de apontar as contradições constitutivas da vida social que resultam na negação de uma determinada ordem. Segundo a proposta Marxista o fenômeno social deveria ser submetido a critica para que as suas potencialidades possam ser reveladas e assim atualizadas numa forma maisevoluída.

E por que aplicar o materialismo histórico? Porque analisa a sociedade do ponto de vista material, ou seja, as relações que os homens estabelecem, o modo como produzem os seus meios de vida, formam a base de todas as suas relações. Segundo a perspectiva materialista todas as formas econômicas sob as quais os homens produzem, consomem e trocam, são transitórias e históricas; sendo oprimeiro fato histórico a produção da vida material.

Em se tratando de produção e reprodução Karl Marx difere a condição humana dos outros animais: Os homens interagem com a natureza de modo consciente já os animais de forma imediata, não cumulativa. E na busca de controlar as condições naturais, os homens criam novos objetos que são passados de geração onde o trabalho é a principal atividade humana,porque é através dele que o homem não só domina a natureza, como também cresce como indivíduo.

Na reflexão da concepção da sociedade notamos em Marx que a mesma é o produto da ação recíproca dos homens. Sendo certa uma conexão na história dos homens porque cada geração posterior encontra forças produtivas adquiridas pela geração precedente que lhes serve de matéria-prima para a nova produção.Tudo isso que foi dito fica relacionado às forças produtivas e relações sociais de trabalho. Entretanto não bastaria, pois o pensamento Marxista é mais amplo quando conceitua forças produtivas afirmando serem elas um conjunto dos instrumentos e habilidades que possibilitam o controle das condições naturais sendo o seu desenvolvimento cumulativo. Mas não ultrapassaria os limites Marxistas queconforme o autor a divisão do trabalho no sistema capitalista gera alienação.

Em Marx infraestrutura é a força produtiva e a relação social de produção; e superestrutura são as ideologias políticas as concepções religiosas, códigos morais e estéticos, que não tem forma material. A superestrutura existe para legitimar a infraestrutura. É possível ler em Marx que o surgimento das classes sociais se dáatravés do excedente de produção e o surgimento da propriedade privada dos meios de produção. Segundo ele esta forma de propriedade acentua a exploração da classe proletária.

Na leitura marxista, entende-se que as lutas de classes são o motor da história já que as principais transformações estruturais são impulsionadas por meio das lutas de classes. E a classe exploradora constitui-se no maispotente agente de mudança. Podendo acrescentar ainda que a luta de classes conduz a ditadura do proletariado e que esta ditadura não é mais que a transição para a abolição de todas as classes para uma sociedade sem classes.

A ideia central de Marx em O Capital é a sociedade capitalista, suas características aspectos e organização. Tendo esta sociedade como base de análise, podem-se compreenderoutras formas socioeconômicas. A expressão elementar da riqueza desta sociedade é a mercadoria, ou seja, os produtos e a própria força de trabalho, sendo composta, por dois: valor de uso e valor de troca. Ela satisfaz as necessidades humanas, se efetiva no consumo enquanto que aquilo que não é consumido não é mercadoria. Para calcular o valor de troca de uma mercadoria mede-se a quantidade dasubstância, ou seja, o tempo de trabalho socialmente necessário. O valor das mercadorias varia de acordo com os lugares e as épocas por isso as mercadorias distintas podem possuir preços diferentes. Ao final o que resta da mercadoria é ser produto do trabalho.

As relações de produção capitalista tem por base o mercado onde a força de trabalho é negociada. Para a sociedade capitalista a ideia de...
tracking img