Resumo do livro “o jornalismo na era da publicidade” de leandro marshall

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1709 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
O livro “O Jornalismo na era da Publicidade” de Leandro Marshall busca mostrar as mudanças nos meios de comunicação e em cada detalhe do jornalismo causadas pelo crescimento da influência e do poder da publicidade no mundo em que vivemos, cada vez mais capitalista e estético. O autor procura mostrar e defender seu ponto de vista com argumentos e citações de outros profissionais da área, em cincocapítulos: “O jornalismo pós-moderno, História econômica da imprensa, A era da publicidade, A queda do muro e A estética da mercadoria”.
O jornalismo é a linguagem que codifica e universaliza a cultura hegemônica e legitima a lógica do mercado. Mas esse ato de informar vem se mostrando cada vez mais influenciado pelos interesses das empresas que têm poder econômico, desde um ponto de vistaenfatizado de certa notícia a um programa de televisão com cada vez mais propagandas em seu conteúdo. O mercado tornou-se referência e paradigma. No primeiro capítulo Leandro Marshall afirma que "o jornalista pós-moderno vira refém de uma lógica avessa ao interesse da informação, mas simpática aos interesses da empresa e do mercado". Diz ainda que o jornalista da era pós-moderna anula o sensocrítico e a capacidade de reflexão, permitindo-se o ato de submeter o lead e a pirâmide invertida à lógica do mercado. Ou seja, quem determina a matéria é o que dá mais audiência ou mais lucro. Generalizando, o autor destaca a submissão atual existente do jornalismo e da imprensa à lógica do mercado, cada vez maior.
Com a predominância da procura de agradar o leitor esteticamente, fatorprioritário das empresas publicitárias, o jornalismo mostra-se dependente. Nasce dessa forma, o que Howard Kurtz (1993) chama de jornalismo cor-de-rosa, já que prioriza a cor, as letras garrafais e a foto hiperdimensionada, em detrimento do conteúdo da informação. É um jornalismo que está estrategicamente preparado para não desagradar a ninguém, seja leitor, usuário, consumidor, cliente, dono, anunciante,etc. Outra característica a ser apontada é em relação ao crescimento significativo do entretenimento nos meios de comunicação e, consequentemente, a perda de espaço da informação séria, imparcial, clássica. O jornalismo de costume, aquele que troca as “verdadeiras notícias” por matérias subjetivas de comportamento, ganha espaço pelo interesse e atenção grande da massa. Com isso tudo, um novoparadigma começa a nascer no universo do jornalismo, influenciado pelo marketing. A informação se transforma em um campo de negociação e barganha de interesses, submetida às regras e determinações do marketing empresarial. Resumindo, Marshall afirma que “diante desse cenário, tornou-se corriqueiro no meio acadêmico afirmar que o jornalismo atual perdeu completamente o vigor e a virilidade existentesnas veias dos jornalistas e nas páginas dos jornais até meados do século XX. O jornalismo engajado, idealista, revolucionário, palco de lutas ideológicas e debates sociais, latente nos séculos XVII, XVIII e XIX, teria dado lugar hoje a um jornalismo amorfo, insípido e vazio.” O autor acredita que, em síntese, a realidade da transição do jornalismo clássico para o jornalismo da era do neoliberalismopode talvez ser resumida nas seguintes perspectivas: a mutação dos jornalistas, da informação, do jornal, do jornalismo e da imprensa.
Um ponto importante a ser dito é em relação à ética. Com tantas mudanças, ela sofre algumas consequências de impacto. A ética humanista do jornalista, fundada nos valores do interesse público e do bem-estar coletivo, acaba sendo atropelada pela assunção deuma ética econômica fundada no capitalismo e em interesses privados. Esse padrão de jornalismo contemporâneo, compromissado com o mercado, abdica dos princípios humanísticos, libertadores e idealistas que residiam na essência do jornalismo clássico, alterando de certa forma a ética individual, seja do jornalista, do anunciante ou do público.
No segundo capítulo, “História econômica da...
tracking img