Resumo da unidade iv do livro convite a não vioelncia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2751 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
RESUMO DA UNIDADE IV, DO LIVRO CONVITE A FILOSOFIA DE MARILENA CHAUI
Sinop 2010

-CHAUI, M. Convite a Filosofia. São Paulo: 12ª Ed Editora Ática, 2001. p 109-178.
UNIDADE IV – O CONHECIMENTO
CAPÍTULO 1 – A PREOCUPAÇÃO COM O CONHECIMENTO
No inicio desta quarta unidade a autora relaciona o tema abordado com os primeiros filósofos, fazendo uma retrospectiva do surgimento da palavra Ser,através da indagação "O que é Ser?", logo em seguida, escreve o significado: em Português, significa esse; em Grego tu onta, as coisas existem.
A partir disso, os primeiro filósofos ocupavam-se com a origem do mundo o Kosmo, daí a filosofia nascente tornou-se ontológica. Por isso, considera-se que os primeiros filósofos não se preocupavam com o conhecimento quanto conhecimento, isto é se eles poderiamconhecer ou não o Ser.
Para Heráclito de Efeso, a preocupação com o conhecimento é relacionada com a Natureza, no qual tudo se transforma no seu contrário, sendo a harmonia dos contrários, que cessam de transformar uns nos outros.
Parmênides de Eléia, só pode pensar nas coisas que são coisas, pois como pensar nas coisas que é e não é ao mesmo tempo, pensar é dizer que um ser é sua identidadeprofunda e permanente com isso ele tinha uma posição oposta de Heráclito.
Demócrito de Abdera desenvolveu uma teoria sobre o Ser conhecida como Atomismo: a realidade construída por átomos e os arranjos que faz sentimos a diferencias entre as coisas.
Segundo os sofistas não conhecemos o Ser, mas temos opiniões subjetivas do Ser, ao contrário Sócrates diz que a verdade pode ser conhecida bastaafastarmos as ilusões dos sentidos ou das palavras ou das opiniões assim alcançara a verdade ultrapassando a realidade e chegando à essência.
Platão afirmava que conhecer é diferenciar entre a ilusão e a verdade, para alcançar a "verdade absoluta" o conhecimento dividem em quatro graus: crença, opinião, raciocínio e intuição intelectual. O primeiro exemplo de conhecimento verdadeiro é o da Matemática,pois ela afasta o sentido ilusório e não reduzem a meras opiniões subjetivas.
Aristóteles afirmava que o conhecimento é dividido em sete graus: sensação, percepção, imagem, raciocínio e intuição, sendo que o conhecimento é atingido quando houver uma divisão entre o sensível e o intelectual. Distinção dos campos do conhecimento verdadeiro, sistematizado por Aristóteles em três ramos o teorético,prático e técnico.
Santo Agustinho então trouxe a idéia de que cada ser humano é uma pessoa e cada uma tem sua consciência, que é dotada de vontade, imaginação, memória e inteligência. Os filósofos medievais e cristãos afirmavam que podemos conhecer a verdade, desde que a razão não contradiga a fé.
Então os modernos separam a fé da razão e a teoria do conhecimento volta-se para a relação entre opensamento e as coisas, a consciência e a realidade, o entendimento e a realidade; em suma, o sujeito e o objeto do conhecimento.
Descartes criou um procedimento, a dúvida metódica, pelo qual o sujeito do conhecimento, analisando cada um de seus conhecimentos, conhece e avalia as fontes e as causas de cada um, a forma e o conteúdo de cada um, a falsidade e a verdade de cada um e encontra meios paralivrar-se de tudo quanto seja duvidoso perante o pensamento.
Locke é o iniciador da teoria do conhecimento propriamente dita porque se propõe a analisar cada uma das formas de conhecimento que possuímos a origem de nossas idéias e nossos discursos, a finalidade das teorias e as capacidades do sujeito cognoscente relacionadas com os objetos que ele pode conhecer, através da critica dos ídolos.
Ateoria do conhecimento no seu todo se realiza como reflexão do entendimento e baseia-se num pressuposto fundamental: o de que somos seres racionais conscientes. A consciência psicológica ou o eu é formada por nossas vivências. Do ponto de vista ético e moral, a consciência é a espontaneidade livre e racional, para escolher, deliberar e agir conforme a liberdade, aos direitos alheios e ao...
tracking img