Resumo da adin 3510-0 distrito federal - direito civil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (568 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Porto Velho, 27 de Fevereiro de 2013
Faculdade Católica de Rondônia
Andrei de Lima Lacerda
Direito 1º Período

AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE 3510-0 DISTRITO FEDERAL

A ADIN 3510-0 tevecomo requerente o então Procurador-Geral da República e requeridos o Presidente da República e o Congresso Nacional, tendo como relator o Ministro Carlos Britto. Confere-se a seguir as consideraçõesdo voto do relator:

O Ministro inicia seu discurso apresentando brevemente os dois lados a serem discutidos sobre a possível inconstitucionalidade, e garantindo que ADIN tem legitimidade de acordocom o propósito e estrutura pela qual deve ser feita. Por seguinte, ele expõe todos os fatos, opiniões, informações e fundamentos sobre o assunto discutido. Iniciando o seu voto, ele usa de repetiçãopara deixar bastante claro sua concepção sobre o assunto ao concordar com a Constituição Federal analisando o texto da mesma, que permite o uso científico-terapêutico de células-tronco embrionárias,desde que estejam em conformidade com a Lei de Biossegurança, tendo em vista que, de acordo com a Constituição Federal, somente adquire-se personalidade jurídica a partir do momento que a criança sai doútero da mãe respirando, concluindo definição jurídica de que a vida humana, já revestida do atributo da personalidade civil, é o fenômeno que transcorre entre o nascimento com vida e a mortecerebral. Acrescenta posteriormente, que os “direitos do nascituro”, compreendidos no Código Civil, garante os direitos da vida que se encontra em caminho ao nascimento. Não negando a Teoria Concepcionista,que acredita que só há vida a partir do momento que o embrião fecundado se cola ao útero da mãe, ele ressalta que esse insubstituível início de vida é uma realidade distinta daquela constitutiva daPessoa física ou natural, pois assim é que preceitua o Ordenamento Jurídico Brasileiro. Embrião é embrião, feto é feto, e pessoa humana é pessoa humana, visto que este último é metamorfose final dos...
tracking img