Resenha:

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1281 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Resenha

Trabalho e educação fundamentos ontológicos e históricos
Dermeval Saviani

Fundamentos histórico-ontológicos da relação trabalho educação

O texto de Dermeval Saviani tem como ponto central a analise e compreensão de como se desenvolveu historicamente a questão da divisão do trabalho eeducação. Saviani diz que o homem é o único animal que trabalha e educa, e com relação ao trabalho-educação, ele se aprofunda a principio na questão de quais são as características do ser humano e oque os permite e possibilita a pratica desse trabalhar e educar, e como se deu sua origem e como foi acontecendo o processo de separação da educação do trabalho.
Saviani nãoconcorda com o pensamento de Aristóteles onde ele diz que embora trabalhar e educar possam ser reconhecidos como atributos humanos, eles são de caráter acidental e não fundamental.

E Aristóteles diz também que o que diferencia o homem dos demais animais é a racionalidade, mas diz porem que: “considerando como próprio do homem pensar, o contemplar, reputa o ato produtivo, o trabalho como umaatividade não digna de homem livre.”
Saviani pensa que diferentemente dos outros animais o homem marco sua diferencial na historia por adaptar a natureza a si mesmo. E é assim que o homem atua na natureza, a transformando para que ela se adeque e supra suas necessidades, é isso que ganha o nome de trabalho pelo autor, sendoesse trabalho a essência do homem. E indo por esse pensamento de Marx ele defende a ideia de que o homem não nasce homem, ele se torna homem, assim ele vai produzindo sua própria existência, com isso vem o seu processo educativo, pois produzindo sua existência ele esta se formando humanamente. É trabalhando que o homem aprende a trabalhar.
Contraditoriamente Bergson na Obra Evolução Criadoraconsidera o homem como um animal criador de fabricação e não um contemplador como analisou Aristóteles, contudo Bergson não considera essa atividade suficiente para definir a espécie humana.
Eu acho então, que tendo isso como ponto de partida, é possível ver o trabalho como essência humana. Indicando que para o homem continuar existindo, ele precisa produzir sua própria existência pelo o mesmo, fazendocom que a vida do homem seja decidida pelo modo que sua existência é produzida. Os homens se educam e educam os filhos e os filhos de seus filhos e assim sucessivamente. Pode-se dizer então que o processo de trabalho, educação e o que se produz é o que constroem os fundamentos históricos ontológicos, que forma o próprio ser do homem.

A Emergência histórica da separação entre trabalho eeducação

Os homens ao decorrer do tempo, diferentemente da época primitiva em relação de produção permanecer em um regime de classes onde existem os proprietários e os não proprietários definindo assim uma nova compreensão ontológica do homem em que os não proprietários sustentam a si próprios e os proprietários.
A divisão dos homens em classes fez com que surgisse dentro do processo de aprendizagem aescola, que foi de uma importância para a consolidação do processo de não proprietários e proprietários pois a escola se torna um meio de reprodução desse sistema de classes.
Ao decorrer da história, no começo da Grécia Antiga, era notável que a escola servia como um divisor de aguas, de quem irá dominar e que sera o dominado. E durante a idade média a formação dos trabalhadores era feitadiretamente na prática do trabalho, e na formação das elites que eram formadas no ´´ da escola``.
Quando o modo de produção deixou de ser feudal e passou a ser capitalista. Com essa modificação, mudou também a relação trabalho-escola o saber de poder intelectual em saber de poder material, isso significa que toda uma sociedade fosse no mínimo alfabetizada para que o potencial intelectual pudesse...
tracking img