Resenha do mopece

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1248 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA – UNEB
PROGRAMA PLATAFORMA PAULO FREIRE
CAMPUS IV
LICENCIATURA EM BIOLOGIA
ACADÊMICA – CINTIA ALVES







MÓDULO DE PRINCÍPIOS DE EPIDEMIOLOGIA PARA O CONTROLE DE ENFERMIDADES (MOPECE)
Saúde e doença da população









JACOBINA – BAHIA
MAIO 2012
ACADÊMICA – CINTIA ALVESMÓDULO DE PRINCÍPIOS DE EPIDEMIOLOGIA PARA O CONTROLE DE ENFERMIDADES (MOPECE)
Saúde e doença da população

Resenha Crítica apresentada a Universidade do Estado da Bahia - UNEB, Programa Plataforma Paulo Freire, como forma de avaliação parcial do componente curricular Parasitologia, ministrada pela docente Laura Emanuela.












JACOBINA– BAHIA
MAIO 2012
Módulo de Princípios de Epidemiologia para o Controle de Enfermidades. Módulo 2: Saúde e doença na população/Organização Pan-Americana da Saúde. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde; Ministério da Saúde, 2010. 48 p.: il. 7 volumes.

A presente resenha trata-se do Módulo de Princípios de Epidemiologia para Controle de Enfermidades (MOPECE), o qual aborda aspectosrelevantes das epidemiologias básicas do Brasil.

Logo na primeira parte do módulo em estudo, os autores fazem um enfoque epidemiológico que centraliza nas doenças agudas, particularmente nas transmissíveis, permitindo conhecer seu comportamento e assim, decidir a melhor maneira para o controle da mesma, permitindo avanços do conhecimento e controle das doenças transmissíveis, reduzindo sua morbilidadee mortalidade, beneficiando populações em risco nos países desenvolvidos, porém segundo Reingold a erradicação das doenças infecciosas não parece possível em um futuro previsível.

Neste âmbito, compreende-se que doenças transmissíveis são causadas por agentes infecciosos e podem ser chamadas de emergentes e reemergentes, sendo que a doença emergente é transmissível em humanos e ameaça aumentarfuturamente, já as reemergentes é previamente conhecida como problema de saúde pública já que reaparece após etapas de significativa intensidade.

Após uma breve revisão das tarefas da epidemiologia que trata da organização e descrição dos dados coletados, já que a epidemiologia estuda a frequência, a distribuição e os determinantes dos eventos de saúde nas populações humanas, é de extremarelevância as variáveis epidemiológicas de tempo, lugar e pessoa para assim estabelecer as características e comportamentos das doenças. Sendo que as doenças infecciosas costumam ser agudas, permitindo antecipar sua ocorrência e adotar medidas preventivas. É bastante favorável registrar a ocorrência de doenças, identificar fatores de risco através do tempo com a utilização de gráficos permitirá umaavaliação dos impactos das intervenções na saúde.

Sem sombras de dúvidas a localização geográfica dos problemas de saúde é de fundamental importância para analisar sua extensão e velocidade de disseminação, permitindo gerar hipóteses sobre possíveis fatores de risco e de transmissão, enriquecendo significativamente o tratamento referente do variável lugar.

Desse modo, vale ressaltar que ascaracterísticas das pessoas possibilita identificar a distribuição das doenças e fatores de risco. Assim, é de extrema relevância o estudo das dimensões temporal, espacial e populacional para a suposta organização que orientam o enfoque epidemiológico. O módulo não foge à ideia de que o enfoque epidemiológico consiste num processo de busca da causalidade que permite tais aproximações, com afinalidade de orientar as medidas de intervenção considerando que as doenças não são por acaso e que a mesma é um fenômeno dinâmico.

De acordo ao estudo, percebe-se que existem dois modelos da causalidade em epidemiologia, a Tríade Epidemiologica, modelo tradicional de causalidades das doenças transmissíveis, o resultado da interação entre o agente, o hospedeiro suscetível e o ambiente. O outro...
tracking img