Resenha critica alan turing

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 25 (6018 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1 REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

Leavitt,David,1961-
O homem que sabia demais: Alan Turing e a invenção do
Computador/ David Leavitt ; [tradução Samuel Dirceu].- São Paulo :
Novo Conceito Editora, 2007 .

Titulo Original: The man who knew too much: Alan Turing and
the invention of the computer.

2 APRESENTAÇÃO DA OBRA

A obra -O homem que sabia demais: Alan Turing e aInvenção do computador (The man who knew too much: Alan Turing and the invention of the computer) de
David Leavitt, aborda sobre a vida e a obra do  matemático britânico Alan Turing (1912-1954), um dos pioneiros da computação moderna e o também o inventor do computador moderno, mostrando desde as suas influencias ate o sua
importante participação na Segunda Guerra Mundial.

3 Estrutura eresumo da obra

O livro se constitui em 8 capítulos com o seguinte resumo:

Capitulo 1- O Homem do Terno Branco

Na comédia The Man in the White Suit (O Homem do Terno Branco), produzida pela Ealing em 1951 e dirigida por Alexander Mackendrick, Alec Guinness é Sidney Stratton, um químico inseguro e meio infantil que desenvolve um tecido que nunca desgasta ou fica sujo. Sua invenção éproclamada como um grande passo à frente – até que os donos da indústria têxtil da qual ele é empregado, ao lado dos dirigentes dos indicato que representam seus colegas de trabalho, percebem que o invento vai colocá-los fora dos negócios.
Obviamente, qualquer paralelo estabelecido entre Sidney Stratton e Alan Turing – matemático inglês, inventor do computador moderno e arquiteto da máquina quequebrou o código da Enigma dos alemães durante a Segunda Guerra Mundial – deve por necessidade ser inexato. De um lado, esse paralelo exige que vejamos Stratton (especialmente como desempenhado pelo gay Guinness) como, no mínimo, uma figura proto-homossexual e interpretemos sua perseguição como uma metáfora para a mais generalizada perseguição dos homossexuais na Inglaterra, antes da descriminalizaçãodos atos de “enorme indecência” entre homens adultos ocorrida em 1967.

O Homem do Terno Branco tem muito a nos contar sobre as condições determinantes da curta vida de Alan Turing: a homossexualidade, a imaginação científica e a Inglaterra na primeira metade do século XX. Assim como Stratton, Turing eraingênuo, distraído e alheio às forças que o ameaçavam. Como Stratton, ele trabalhava sozinho.ComoStratton, ele estava interessado em ligar o teórico ao prático, interessando-se pela matemática em umaperspectiva que refletia o ethos industrial da Inglaterra na qual ele crescera. E finalmente, como Stratton,Turing foi “expulso do mundo” pelas forças que viam nele um perigo.

Considerado um risco para a segurança em virtude de seu heroico trabalho durante a Segunda Guerra Mundial, Turingfoi preso e julgado um ano depois da estreia de
O Homem do Terno Branco, sob a acusação de cometer atos de enorme indecência com outro homem. Como alternativa a uma condenação à prisão, ele foi forçado a submeter-se a uma humilhante série de injeções de estrogênio com o objetivo de “curá-lo”. Finalmente, em 1954, ele cometeu suicídio mordendo uma maçã embebida em cianeto –uma aparente reverênciaa um dos seus filmes favoritos, a versão de Branca de Neve e os Sete Anões feita pelos estúdios Disney, a que os escritos sobre Turing nos anos subsequentes deram grande importância.

Capitulo 2- Vendo as Margaridas Crescerem

Ele foi um filho do Império e da classe média inglesa. Seu pai, Julius, foi membro do Serviço Civil da Índia e foi em Chatrapur, perto de Madras, que Turing foi concebido.Julius e Ethel Sara Turing retornaram depois à Inglaterra, onde seu segundo filho nasceu, no dia 23 de junho de 1912, em um pequeno hospital em Paddington. Seu nome completo era Alan Mathison Turing. De acordo com sua mãe: “Alan se interessava por números – sem nenhuma associação matemática – antes que pudesse ler e estudava os números nos postes de iluminação etc”.
Quando tinha seis anos,...
tracking img