Resenha argan, giulio carlo. a arte como expressão

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (610 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
ARGAN, Giulio Carlo. A arte como expressão. In: ___. Arte Moderna: Do Iluminismo aos movimentos contemporâneos. 2ª Edição. São Paulo: Companhia das Letras, 1992. p. 227-262

Nesse trecho o autorfala do movimento expressionista, dos seus seguidores e suas obras, e também ele faz uma comparação com o impressionismo, mostrando algumas semelhanças e divergências. O autor destaca as distinçõesentre o impressionismo e o expressionismo apontando que o primeiro alega seu realismo no plano do conhecimento, da tradução visual da pintura em sua essência ótica, e o segundo se dedica a uma açãopictórica volitiva de individualidades críticas e sua utopia do progresso universal.
Segundo Giulo Carlo Argan, o expressionismo teve centros distintos como o movimento francês dos Fauves e o alemão DieBrücke (ambos influenciados por dois dos maiores pensadores da época Bergson e Nietzsche), e que se manifesta no final do século XIX com Toulouse- Lautrec, Gauguin, Munch, Van Gogh e Ensor.
Osfauves não teriam existido se não fosse a ânsia religiosa protestante de Van Gogh e o fatalismo, a ideia de da predestinação, a angústia kierkegaardiana de Munch, já o grupo alemão não surgiria se nãotivessem elaborado uma teoria na qual o impressionismo se enquadrava pelo que realmente era: não um naturalismo banal, mas uma rigorosa pesquisa sobre valor da experiência visual como momento primeiro eessencial da relação entre sujeito e objeto.
As afinidades e as divergências entre o movimento francês dos Fauves e o alemão Die Brücke surgem na comparação dos quadros de Derain, Mulher decombinação, e Marcella, de Kirchner. As duas figuras sentadas estão inclinadas para frente; os corpos mal são mostrados, para dar destaque á cabeça e ao primeiro plano. No primeiro o pintor quer carregar asensação visual com uma forte emotividade psicológica: o dado sensorial deve se traduzir em estimulo sensual, recorrendo à intensa violência de Van Gogh e à penetrante descritividade de Toulouse-...
tracking img