Relatorio de fisica mru

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1710 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE Tecnológica FEDERAL do Paraná
CAMPUS cornélio procópio
gerÊncia de ensino e pesquisa
curso superior de engenharia industrial elétrica e engenharia INDUSTRIAL MECÂNICA









Relatório 2:
movimento retilíneo uniformemente variado





cornélio procópio
2011
fELIPE DURÃES COELHO
LINCOLN godoy
maisa silveira tobal
natália castanho chagas
natanea aparecidaalves
roberta yamashita
thaís obana casotti








Relatório 2:
movimento retilíneo uniformemente variado






Trabalho apresentado como requisito parcial à aprovação na unidade curricular de Física I, do Curso Superior de Engenharia Industrial Elétrica, da Gerência de Ensino, do Campus Cornélio Procópio, da UTFPR.Orientador: Prof. Fábio Poderoso.






Cornélio procópio

2011

Título:

Movimento Retilíneo Uniformemente Variado.



Objetivo:

Analisar experimentalmente o movimento retilíneo uniformemente variado (MRUV) a partir de um trilho de ar, que é um equipamento que minimiza as forças de atrito entre o trilho (que constitui a “pista” a ser percorrida) eum carrinho que deverá realizar o MRUV.



Introdução Teórica:

O movimento retilíneo uniformemente variado caracteriza-se pela existência de aceleração constante e diferente de zero, que tem como consequência uma variação uniforme da velocidade. A aceleração (a) é o quociente da variação da velocidade (∆V) pelo intervalo de tempo (∆t):

.a = ∆V / ∆t (1)

A unidade para o tempo (t) de acordo com o sistema internacional de unidades (SI) é o segundo (s), para a velocidade é o metro por segundo (m/s) e para a aceleração é o metro por segundo ao quadrado (m/s2). Graficamente podemos obter a aceleração em um gráfico de V x t (velocidade versus tempo) a partir do cálculo docoeficiente angular da reta tangente encontrado através da reta que liga os pontos das velocidades correspondentes aos tempos medidos. A velocidade não permanece constante, ela varia de acordo com o valor da aceleração do movimento em questão. A velocidade escalar média (Vm) pode ser obtida pelo quociente da variação do espaço (∆s) pelo intervalo de tempo correspondente (∆t):

.Vm = ∆S/∆t (2)

A unidade para o espaço (S) é em unidades do SI o metro (m). A velocidade escalar instantânea (V) é o limite da velocidade quando ∆t tende a zero:
[pic] (3)

Onde S(t) é o espaço escolhidoreferente ao tempo t e S(ti) é o espaço no tempo inicial; V é dada em (m/s). A partir da equação (3) podemos encontrar a velocidade instantânea de uma partícula em um instante específico aproximando a diferença (t – ti) a zero. Graficamente podemos encontrar a velocidade de um corpo traçando um gráfico de (S x t) onde o coeficiente da reta tangente em qualquer ponto indica a velocidade instantâneareferente a S e t escolhidos.

A equação de Torricelli foi desenvolvida por Envangelista Torricelli para encontrar a velocidade final de um corpo em MRUV sem conhecer o intervalo de tempo em que este permaneceu em movimento. A equação é da forma:

. VF2 = Vi2 + 2a∆S (4)

Onde VF é avelocidade final e Vi é a velocidade inicial da partícula. Esta equação pode ser deduzida a partir das seguintes equações:

. S = S0 + V0 t + (at2 / 2) (5)

. VF = V0 + a t (6)

Isolando t em...
tracking img