Recursos humanos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 47 (11733 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]

Prof. Odair Marques
2011

HISTÓRIA DO PENSAMENTO ECONÔMICO

As questões econômicas têm preocupado muitos intelectuais ao longo dos séculos. Na antiga Grécia, Aristóteles e Platão dissertaram sobre os problemas relativos à riqueza, à propriedade e ao comércio. Durante a Idade Média, predominaram asidéias da Igreja Católica Apostólica Romana e foi imposto o direito canônico, que condenava a usura (contrato de empréstimo com pagamento de juros) e considerava o comércio uma atividade inferior à agricultura.
Como ciência moderna independente da filosofia e da política, destaca-se a publicação da obra An Inquiry into the Nature and Causes of the Wealth of Nations (1776; Umainvestigação sobre a natureza e as causas da riqueza das nações), do filósofo e economista escocês Adam Smith.
O mercantilismo e as especulações dos fisiocratas precederam a economia clássica. Essa parte dos escritos de Smith é desenvolvida na obra dos economistas do século XIX, como Thomas Robert Malthus e David Ricardo, e culmina com a síntese de John Stuart Mill. Estes aceitaram a lei deSay sobre os mercados, fundada pelo economista Jean Baptiste Say.
Nela, o autor sustenta que o risco de um desemprego maciço em uma economia competitiva é desprezível, porque a oferta cria sua própria demanda, limitada pela quantidade de mão-de-obra e os recursos naturais disponíveis para produzir, não podendo, portanto, haver nem superprodução nem desemprego. Cada aumento da produçãoaumenta os salários e as demais receitas necessárias para a compra dessa quantidade adicional produzida.
A oposição à escola do pensamento clássico veio dos primeiros autores socialistas do século XIX, como Claude Henri de Rouvroy, conde de Saint-Simon, e do utópico Robert Owen. Porém, foi Karl Marx o autor das teorias econômicas socialistas mais importantes.
Na década de 1870, aparece a escolaneoclássica, que introduz na teoria clássica as novas produções do pensamento econômico, principalmente os marginalistas, como William Stanley Jevons, Léon Walras e Karl Menger. O economista Alfred Marshall, em sua obra-prima, Principles of Economics (1890; Princípios de economia), explicava a demanda a partir do princípio da utilidade marginal e a oferta, a partir do custo marginal (custo deprodução da última unidade).
John Maynard Keynes, defensor da economia neoclássica até a década de 1930, analisou a Grande Depressão em sua obra The General Theory of Employment, Interest and Money (1936; Teoria geral do emprego, do juro e da moeda), em que formulou as bases da teoria que, mais tarde, seria chamada de keynesiana ou keynesianismo.
Tanto a teoria neoclássica dos preços como a teoriakeynesiana da receita têm sido desenvolvidas de forma analítica por matemáticos, utilizando técnicas de cálculo, álgebra linear e outras sofisticadas técnicas da análise quantitativa. Na especialidade denominada econometria, a ciência econômica se une com a matemática e a estatística.

INTRODUÇÃO À ECONOMIA

Seja em nosso cotidiano, seja através dos jornais, rádio e televisão, deparamo-noscom inúmeras questões econômicas, como por exemplo:

• aumento dos preços
• período de crise econômica ou de crescimento
• desemprego
• setores que crescem mais do que os outros
• diferenças salariais, dissídios coletivos
• crises no balanço de pagamentos
• valorização ou desvalorização da taxa de cambio
• déficit governamental
• elevação de impostos e tarifas públicas
• taxade juros
• diferenças de renda entre as várias regiões do país

DEFINIÇÃO E OBJETO DA ECONOMIA

A palavra economia deriva do grego “oikosnomos” (de oikos, casa, nomos, lei) e pode ser definida como sendo a ciência social que estuda como o indivíduo e a sociedade decidem empregar recursos produtivos escassos na produção de bens e serviços, de modo a distribuí-los entre várias...
tracking img