radiofarmacos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1411 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de fevereiro de 2015
Ler documento completo
Amostra do texto







RADIOFÁRMACOS - FDG










CURITIBA





RADIOFÁRMACOS - FDG






Seminário apresentado ao
Curso de Tecnologia em Radiologia da Universidade Tecnológica
Federal do Paraná, como requisito parcial de aprovação nas disciplinas
de Fundamentos de Bioquímica e Biologia Celular e Microbiologia .










CURITIBA
2013
LISTA DE ILUSTRAÇÕESTABELA 1 - RADIOFÁRMACOS E SUAS APLICAÇÕES 4
FIGURA 1 - IMAGENS DE PET-SCAN, TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA E A FUSÃO DAS DUAS IMAGENS 6


































SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO 1
2 OBJETIVO GERAL 2
2.1 OBJETIVO ESPECÍFICO 2
3 RADIOFÁRMACOS 3
3.1 PRODUÇÃO DE RADIOFÁRMACOS 3
3.2 TIPOS DE RADIOFÁRCACOS E SUAS APLICAÇÕES4
4 FLUORDESOXIGLICOSE - FDG 5
5 TOMOGRAFIA POR EMISSÃO DE PÓSITRONS 6
6 CONCLUSÃO 8
REFERÊNCIAS 9









1. Introdução
A maior parte da utilização de radiofármacos é para diagnóstico em medicina nuclear. Os métodos mais tradicionais, como cintilografia, empregam há muitos anos o material radioativo, como o iodo, por exemplo. Uma técnica muito empregada na medicina nuclear, paradiagnóstico, é a tomografia de emissão de pósitron, que utiliza um radioisótopo de meia-vida curta, no caso o fluor-18.
Meia-vida curta significa que o produto dura muito pouco tempo. A cada duas horas, aproximadamente, a sua atividade cai a metade. A demanda pelos radiofármacos tem se mantido constante principalmente na área de oncologia, de neurologia e também na cardíaca. O aumento também sedeve ao uso em tratamento. Por exemplo, no uso de iodo, não só para diagnosticar mas para tratar problemas na tireóide.
O radioisótopo mais utilizado na medicina nuclear no Brasil ainda é o tecnécio-99, para cintilografia. Neste exame a pessoa recebe o material radioativo que após um tempo se deposita em alguns órgãos. Imagens tiradas posteriormente permitem ao médico avaliar as condiçõesmorfológicas e funcionais.
A tomografia de emissão de pósitrons, conhecida como PET, é tida como revolucionária nesse sentido, pois permite ao médico, pelo princípio de funcionamento do exame, detectar alterações metabólicas no funcionamento do organismo ou de determinados órgãos. O radiofármaco mais utilizado hoje na tomografia PET é a glicose marcada com fluor-18. Este exame de imagem metabólicaaliada a imagens de tomografia computadorizada chama-se PET-CT, sendo assim um exame completo, pois funde imagens do metabolismo celular e imagens anatômicas.
Veremos neste trabalho alguns exemplos de radiofármacos e suas aplicações, mas daremos prioridade ao fluordesoxiglicose, FDG.


2. Objetivo geraL
Indicar os principais radiofármacos utilizados para diagnósticos e tratamentos.Demonstrar as aplicações do fluordesoxiglicose e o exame que o utiliza.

2.1 OBJETIVO ESPECÍFICO

Demonstrar os diferentes tipos de radiofármacos e suas aplicações. Mostrar as bases químicas e biológicas do FDG, o exame em que ele é utilizado.




















3. Radiofármacos
Radiofármacos são compostos radioativos para o uso in vivo no diagnóstico e terapia dedesordens humanas.
Esta definição inclui "kits frios", os quais são compostos não-radioativos que são radioativamente marcados imediatamente antes da aplicação. Esta abordagem é frequentemente usada com o tecnécio-99m, que é um produto do decaimento radioativo do molibdênio 99.
São utilizados na medicina nuclear diagnóstica raios gama (tecnécio-99m, índio-111, tálio-201, iodo-123 e gálio-67) ouradioisótopos emissores de pósitrons (flúor-18, carbono-11, nitrogênio-13 e oxigênio-15). Na terapia, principalmente raios beta emissores de radioisótopos (iodo-131, rênio-186/188, ítrio-90, estrôncio-89 e samário-153) são utilizados.
Há dois fatores que determinam o modo de ação dos radiofármacos: a natureza do isótopo radioativo e a estrutura química da molécula ligada ao isótopo.
Na imagem...