Racismo no brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1027 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
O Racismo no Brasil

O autor diz que no Brasil, existe racismo mesmo que não seja tão à mostra como era nos Estados Unidos... Lá os negros eram humilhados em público. O racismo era declarado sempre exalando o homem branco enquanto o negro era tratado como inferior. Martin Luther King foi um dos mais importantes líderes do movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos, e no mundo,com uma campanha de não violência e de amor ao próximo. No entanto, foi assassinado por alguns ‘covardes’ que o odiavam, mas creio que teria feito muito mais para minimizar toda essa opressão contra os negros.

Aqui o racismo existe, somente está camuflado. As pessoas insistem em dizer que todos são tratados com igualdade, mas essa é a maior mentira da sociedade. Se analisarmos os salários dapopulação, os brancos ocupam os cargos de melhor renda, nas profissões melhor remuneradas. A mulher negra ocupa uma posição desvantajosa em comparação com o restante da população branca. Ela exerce atividades menos reconhecidas, com menor salário e menor exigência de qualificação.

O IPEA destaca que o cenário do trabalho doméstico no Brasil é preenchido principalmente por mulheres e envolve, emmaior grau, as mulheres negras. As trabalhadoras domésticas negras, contam com condições piores na remuneração (em 2009 foi constatado que o salário de domésticas era de $ 364,84 para negras e $421,58 para brancas). O salário mínimo naquele ano era de $465,00 por mês. Este acontecimento está relacionado com certeza a uma herança de escravização na sociedade brasileira, gerando um cenário dedesigualdade, onde a mulher negra sem escolaridade e maior nível de pobreza, tem de se ‘conformar’ com uma opção de emprego sem salário digno e totalmente desregulado.

Fica bem claro então que mesmo o Brasil tendo assinado a abolição da escravatura em 1988 não se adiantou por muito, afinal, apenas livraram os negros da escravidão, mas não deram a eles moradia, trabalho digno, nem saciaram suasnecessidades básicas. Assim, quando os ‘gringos’ chegavam ao Brasil, queriam quem tivesse estudo para ocupar os cargos, como os negros não tinham tido a educação necessária, ficaram novamente à mercê dos brancos.

A democracia racial pretende afirmar e defender a inexistência do racismo, precisamente porque no país não há posições ou locais sociais que negros não possam ocupar. Não há cargo, posto detrabalho, lugar, emprego, profissão etc. em que os negros não possam competir. Ou Seja, não há placas indicando: “Proibida a entrada de negros” ou “Negros não podem participar” entre outros. Como dissemos antes, o Brasil não declara o racismo, mas ele se encontra embutido e incrustado no dia-a-dia do povo. É simples, para comprovar isso é só observar a paisagem social para ver que a democraciaracial ainda não chegou para os negros.
E por isso, citamos o exemplo das domésticas. Existem outros exemplos também, como o dos negros em escolas particulares, a maioria dos brancos tem pais ricos que pagam seus estudos, aumentando suas chances de entrar em uma faculdade, enquanto os negros encontram assim maior dificuldade de competir com os tais.
Para mudar a situação tão comum no Brasil, énecessário adotar novas políticas públicas que busquem diminuir tais desigualdades de renda, escolaridade, emprego, moradia, saúde etc. que afetam mais diretamente os negros.

Pelo que se disse, reconhecer a existência do racismo praticada no Brasil significa lutar para alcançar para a maioria da população brasileira, e para a população afrodescendente, em especial, o reconhecimento social de seremsujeitos portadores de direitos e igual dignidade humana. “Reconhecimento que o racismo e a tão decantada, mas jamais praticada, democracia racial brasileira, insistem, sobretudo, em negar aos negros brasileiros”.

O Brasil sempre foi visto como um país de povo hospitaleiro sempre sorridente que abraça qualquer povo sem se importar com sua raça, o povo que ama a miscigenação. É uma pena que...
tracking img