Psicologia comparada

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1213 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de junho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA

CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

CURSO DE PSICOLOGIA

TRABALHO DE PSICOLOGIA COMPARADA

Vassouras, 2010

UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA

CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

CURSO DE PSICOLOGIA

TRABALHO DE PSICOLOGIA COMPARADA

Trabalho apresentado pelas alunas LETÍCIA VIANA BRUM, matrícula 101106044 e TÂNIA RÚBIA DE LIMA,matrícula 102106013,do 2º período ao professor de Psicologia Comparada do Curso de Psicologia da USS.

Vassouras, 2010

A Etologia vem oferecer uma contribuição importante para o estudo do comportamento social, sob o ponto de vista evolucionário e comparativo. A vida em sociedade, percebida como convivência entre seres de uma mesma espécie,pode existir de várias formas. Uma delas é a formação de grupos que se reúnem em razão de serem atraídos por algum estímulo externo, cujo contato não se justifica pela presença de seus parceiros. Outro modo de aproximação que Lorenz denomina “bandos anônimos” é aquele em que a presença de um ser de sua mesma espécie justifica a união do bando. Neste tipo, não há diferenciação do indivíduo. Outrasduas formas que Lorenz apresenta são de espécies que formam vínculos permanentes, não por preferirem aquele parceiro, mas sim pela lealdade ao ninho, como é o caso das cegonhas. A última forma de comportamento social é ajustado pela identidade grupal e não pelo indivíduo em si.

Os modelos de agrupamentos apresentados demonstram que a vida social se revela de variadas formas,atendendo a diversas pressões seletivas ou funções adaptativas. A espécie humana não foge à regra. Tem em comum certas características de outras espécies e, paralelamente, traz aspectos singulares, ausentes em qualquer outra espécie animal.

A análise do comportamento social, em razão de tanta variedade, deve ser apropriado às particularidades de cada espécie. O ser humano é caracterizadopor relações interpessoais que são marcadas pelas interações sociais ou vice-versa. Por isso, descrever e analisar interações não é suficiente para entender as relações, pois elas interagem, num contexto e numa dinâmica interpessoal, produzindo novos atributos e demandando outras teorias explicativas. Assim, uma análise do comportamento social é distinto da soma das análises do comportamento dosindivíduos para concluir o conjunto. Isso significa que o comportamento social contribui para a adaptação: frente às pressões do meio, obtém-se uma solução.

Na perspectiva etológica, o homem como um ser social é uma herança primata, ou melhor, é o resultado evolutivo dos primatas. Ele apresenta marcas evolutivas, características tais como: visão aguçada, membros manipuladores ecérebro com mais capacidade de diferenciação. Outra marca do processo evolutivo está na aquisição da cultura a qual é transmissível. Ela não é considerada um produto tardio – última herança que nos distingue dos primatas. Ela ajuda o homem, num processo paralelo de torná-lo um ser biológico, ou seja, a cultura não é algo que surge depois de ele se tornar um ser biológico completo.Existe uma função biológica do comportamento comunicativo, resultado de uma exigência comum: a troca de informações ou comunicação, que se presta a relações estabelecidas entre membros de toda e qualquer espécie. Essa troca de informação será interpretada pelo estado motivacional, que pretende regular o comportamento de outro membro. Um organismo emite uma informação de sua motivação, dandocondições ao outro organismo de receber um estímulo e dar sua resposta. Essa troca de informação tanto pode ser no processo estímulo e resposta quanto em outras formas mais sofisticadas, como regras, valores e normas. A adaptação ocorre em função de pressões ou exigências do meio e os mecanismos adaptativos são destinados para a possibilidade de troca de informação. Enfim, uma espécie evolui no...
tracking img