Programa fome zero

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2160 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade de Brasília/Instituto de Ciência Política
Introdução à Ciência Política – 02.2012
Profa. Tatiana Ribeiral

Daniel Ribeiro – 12/0114402
Felipe Manara – 12/0117151
Rubson Caetano – 12/0135060
Thiago Werneck – 10/0062016

Sumário

1. Introdução..............................................................................................Página 2

2. Desenvolvimento2.1 Percepção da Demanda...................................................................Página 3
2.2 Formulação de Alternativas............................................................Página 4
2.3 Implementação.................................................................................Página 6 2.4 Metas alcançadas e resultados esperados......................................Página 83. Conclusão................................................................................................Página 9

4. Bibliografia............................................................................................Página 10

1. Introdução

“Vamos criar as condições para que todas as pessoas no nosso país possam comer decentemente três vezes ao dia, todos os dias, semprecisar de doações de ninguém. O Brasil não pode mais continuar convivendo com tanta desigualdade. Precisamos vencer a fome, a miséria e a exclusão social. Nossa guerra não é para matar ninguém – é para salvar vidas.”
(Luiz Inácio Lula da Silva, em seu Discurso de Posse, 1º de janeiro de 2003)

O Programa Fome Zero tem seu ínicio no ano de 2003, foi criado para substituir a entãopolítica da Comunidade Solidária, criada por Fernando Henrique Cardoso em 1995, com o principal objetivo de combater a fome e a miséria. Diferentemente de seu antecessor, o Fome Zero visa combater apenas a fome (diretamente), precursora e causadora da exclusão social, e claro, assegurar o direito básico à alimentação áqueles que não possuem acesso. O programa não se limita apenas à assegurar umaalimentação de qualidade, mas consequentemente garantir a inclusão social e aos poucos a conquista da cidadania dos beneficiários.
O escopo de atuação se dá em três frentes, na primeira podemos entender que o programa não é apenas uma política pública, mas sim um conjunto delas ; segundo, construiu-se de maneira participativa uma Política Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional ; por fim,um grande mutirão contra a do fome, com atuação das três esferas do governo (federal, estadual e munincipal), além da participação dos ministérios.
Neste trabalho e em seus tópicos subsequentes, aprofundaremos acerca do funcionamento do Programa, seus beneficiários e todas as consequências vísiveis ou não causadas, visando fornecer uma visão apolítica e clara do que realmente se trata oprograma e como seus resultados impactam na sociedade brasileira atual.

2. Desenvolvimento
2.1 Percepção da demanda
Quando concebido o programa, o território brasileiro registrava cerca de 44 milhões de habitantes ameaçados pela fome. Como dito antes, a fome é precussora da exclusão social, que consequentemente gera outros fenômenos como o desemprego, a violência e acriminalidade que são igualmente preocupantes na sociedade.
Repetimos tantas vezes que a fome é causadora da exclusão social, mas não dissemos que esta, bem como a pobreza é também consequência da mesma, fruto da desigualdade e concentração de riqueza tão característicos do nosso país. Onde o pobre é condenado à miserabilidade antes mesmo de nascer, que herda as anomalias, as desvantagens denascer sem condições, vulnerável e com dificuldades muitas vezes inimagináveis para nós. Percebe-se o ciclo, interminável, que a exclusão gera exclusão, que a pobreza gera pobreza, que se repete, geração após geração. Ressalta-se os principais beneficiários do programa, claro, os que mais demandam esta ajuda á um problema tão agudo, mas, é importante levar em conta como esta política, ou...
tracking img