Precisamos falar sobre o kevin

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 4 (916 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Acredito que o livro seja menos perturbador do que o filme. Há uma certa linearidade. O tampão de olho de Célia, por exemplo, só aparece nos capítulos finais do livro. Em todo o tempo, o livro nossurpreende. Por ser escrito em primeira pessoa, o livro permite mais acesso à sensibilidade e às motivações dela. Ela deixa claro no primeiro capítulo que nunca quis ser mãe, mas que teve o filho paraagradar o marido. Algumas partes são bem subjetivas, você nunca sabe se ele é exatamente como ela descreve ou se é ela quem o vê assim. Ela acabando jogando fora o bebê com a água suja. Tem uma parteque ela volta da maternidade com a filha Célia e a foto que ela mais gostava havia desaparecido. Ela então já acha que foi o maquiavélico Kevin que a destruiu de propósito (e não posso dizer que nãotem razões para isso), porém ele guardou a foto consigo e já na cadeia, ele concede uma entrevista pra tv. Nela, a câmera foca na foto que ela achou que ele tivesse destruído. Analisando a mesmaentrevista, Eva escreve sua surpresa nas palavras de Kevin que repetia várias ideias e conceitos da mãe- e aí é que a cena em que a Eva dizem que os gordos são culpados pela sua obesidade faz sentido. Kevinirá dizer que a sociedade americana sempre põe a culpa em alguém:
"Um das coisas que eu não consigo aguentar nesse país é o descompromisso com a responsabilidade. Tudo que os norte-americanos fazemé que não funciona muito bem tem que ser culpa de outra pessoa. Quanto a mim, eu respondo pelo que fiz. Não foi ideia de ninguém, só minha."
Era exatamente o que Eva pensava. E o que tinha dito aKevin no dia em que sai com ele.
Em outro episódio, anterior a esse, Eva vai visitar Kevin. Na sala de espera encontra outra mãe com quem conversa. Antes de entrar pra visitar o filho, a mãe diz praEva:
"É sempre culpa da mãe, não é verdade? Aquele menino deu errado porque a mãe dele bebia, ou se drograva. Ela deixava o garoto solto na rua; ela não ensinou a ele o que é certo e nunca diz que...
tracking img