Portugues

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2076 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLOGIAS
CAMPUS XVIII- EUNÁPOLIS-BA




NANA LEILI ESTEVES CASSIANO
































MULHER E SOCIEDADE
História, Sexualidade, Concepções e Liberdade
(ARTIGO)EUNÁPOLIS-BA 2010
MULHER E SOCIEDADE:
História, Sexualidade, Concepções e Liberdade




Nana Leili Esteves Cassiano




RESUMO






Durante a história da humanidade, a mulher quase nunca estava em destaque no meio social, sendo vista apenas como um suporte amorfo na família que serve para manter a estabilidade de tal e o laragradável para todos aqueles que nele habitam. A imagem que acerca o termo veiculada pela mídia é a que prevalece, a mulher não tem direito de escolher como seu corpo deve ser , quem dita suas medidas, seu caráter e suas funções são os meios de comunicação de massa. Também não exerce direito e opiniões sobre sua sexualidade. No mercado de trabalho vem conquistando seu espaço aos poucos e isso vemdesencadeando uma série de divergências entre “machos e fêmeos”.


PALAVRAS-CHAVE: mulher, sociedade, sexualidade, liberdade.


INTRODUÇÃO




No passado as mulheres tinham suas vozes caladas, o direito de votar não era concedido à elas, sair para brincar quando crianças era quase loucura, o tricô, o crochê, as prendas domésticas eram valorizadas de forma imensurável em busca de ummarido que ainda recebia dote para casar, ou seja, eram pagos para levar uma mulher de casa e torná-la sua esposa. Essas tarefas e “obrigações pré-matrimoniais” eram somente femininas, seus neurônios serviam apenas para fazer feijoada, milhões de cérebros foram desperdiçados até 1960 e talvez até hoje, se esses cérebros fossem utilizados em prol da evolução e desenvolvimento da sociedade, algunspaíses, sem dúvida, muito mais avançada. Bem, colocar a culpa do subdesenvolvimento de alguns países no retardamento feminino é generalizador e precipitado, pois a submissão vem desde os tempos pré-históricos, se arrastando pelos tempos do Imperador Júlio Cézar, do monopólio da igreja Católica, Primeira Guerra, Segunda Guerra até a Revolução Sexual nos anos 60.
Mesmo após essa Revolução, sualiberdade não foi concedida, foi onde começou o pavor dos homens, a palavra “corno” ganhou um significado e até a Idade Moderna não foi superada (talvez nunca seja). Antes dessa Revolução a sexualidade feminina era e continua sendo em muitas sociedades de total poderio do sexo oposto, onde justificam através da ciência seu monopólio sexual com o argumento de que são seres polígamos por conseguiremfecundar vários óvulos num curto período de tempo e as mulheres permanecem fecundadas por um longo período.
Anúncios com corpos de mulheres para vender produtos, como se também fosses comercializáveis são veiculados pela mídia até hoje, basta analisar os meios de comunicação que estão disponíveis , parece que são apenas corpos bonitos sem massa encefálica suficiente para direcioná-los à outrafunção que não seja o sexo
Atualmente, a mulher vem conquistado seu espaço no mercado de trabalho, isso é fruto de longas décadas de submissão e revolta de algumas que não queriam continuar com as mesmas utilidades e sem a liberdade ou sem a tão sonhada igualdade dos sexos e até poder sentir-se bonita sem ser comparada com nenhum estereótipo transmitido pela mídia que talvez não existam.


1.MULHER E SOCIEDADE: UTILIDADE HISTÓRICA




Frases como: “sou uma esposa dedicada”, “minha filha tem mãos de fada” frisam muito bem quais eram as funções da mulher: cama e mesa.
No início do século XX as meninas eram educadas pelos pais com o intuito de lançá-las mais tarde ao “Mercado de Casamentos”. Havia uma imensa preocupação com as brincadeiras, não podiam cair se não...
tracking img