Pontes

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 41 (10025 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Presbiteriana Mackenzie – PONTES - APOSTILA 1

1

1. DEFINIÇÕES GERAIS
PONTE É UMA ESTRUTURA EXECUTADA PARA VENCER ALGUM OBSTÁCULO SEM INTERROMPÊLO TOTALMENTE. ESSE OBSTÁCULO PODE SER UMA VIA, U MA DEPRESSÃO OU UM CURSO D’ÁGUA.

QUANDO NA PARTE INFERIOR DA ESTRUTURA , PREDOMINANTEMENTE TIVERMOS UM LAGO OU
UM CURSO D ’ÁGUA, A ESTRUTURA É CHAMADA , DE UM MODO GERAL, DE PONTE.A PONTE MAIS BELA DO M UNDO: PONTE JK - BRASÍLIA

OS NÚMEROS DESTA PONTE SÃO FANTÁSTICOS. EM CONCRETO SUBMERSO FORAM
UTILIZADOS MAIS DE 4 0.000 M

3

. ISSO REPRESENTA 33 PRÉDIOS RESIDENCIAIS DE SEIS PAVIMENTOS.

FORAM CONSUMIDAS 18.000 TONELADAS DE AÇO, DUAS VEZES E MEIA A TORRE EIFFEL, EM PARIS .
A PROFUNDIDADE MÉDIA DAS ESTACAS FOI DE 58 METROS. TREZE TIPOS DIFERENTES DE SOLO
FORAMENCONTRADOS, DA TURFA

(QUE NÃO TEM RESISTÊNCIA NENHUMA ), ATÉ O QUARTZITO,

TERCEIRO MINERAL MAIS RESISTENTE DA NATUREZA.

Engenharia Civil – Prof. Aiello Giuseppe Antonio Neto

Universidade Presbiteriana Mackenzie – PONTES - APOSTILA 1

2

DADOS DA PONTE JK:


COMPRIMENTO TOTAL: 1.200 M.



LARGURA TOTAL: 26 M (6 PISTAS)



TABULEIRO A 18 M DO NÍVEL DE ÁGUA DO LAGO•

3 ARCOS COM 240 M CADA UM



ALTURA: 61 M EM RELAÇÃO AO NÍVEL DE ÁGUA DO LAGO



1300 TRABALHADORES ENVOLVIDOS



CUSTO APROXIMADO DA OBRA: R$ 160 MILHÕES

QUANDO NA PARTE INFERIOR DA ESTRUTURA UMA VIA OU UMA DEPRESSÃO SEM EXISTIR A
PRESENÇA DE ÁGUA , ESSA ESTRUTURA É CHAMADA DE VIADUTO.

VIADUTO SOBRE A PRAÇA GENERAL D ALLE COUTINHO – OSASCO, SP.

NO QUE SEGUE,USAREMOS O TERMO “PONTE ” PARA EXPRESSAR UM VIADUTO OU UMA PONTE
PROPRIAMENTE DITA.

Engenharia Civil – Prof. Aiello Giuseppe Antonio Neto

Universidade Presbiteriana Mackenzie – PONTES - APOSTILA 1

3

2. PROPRIEDADES FUNDAMENTAIS
2.1. FUNCIONALIDADE
TODAS AS PONTES DEVEM SATISFAZER ÀS CONDIÇÕES DE USO PARA AS QUAIS FORAM
PROJETADAS E EXECUTADAS.

DESSE MODO DEVE-SE ADAPTAR ÀS CONDIÇÕESDE ESCOAMENTO SATISFATÓRIO DE
VEÍCULOS E DE PEDESTRES.

POR OUTRO LADO, CONVÉM MENCIONAR O PRAZO PREVISTO PARA A UTILIZAÇÃO DA PONTE
TENDO EM VISTA A EVENTUALIDADE DE SE TORNAR INADEQUADA EM UM PRAZO MUITO CURTO.

NESTA

SITUAÇÃO, A AMPLIAÇÃO, NA MAIOR PARTE DOS CASOS, TORNA-SE ONEROSA.

VIADUTO NO JAPÃO

UM OUTRO EXEMPLO É O CANAL -PONTE SOBRE O RIO ELBA, (WASSERSTRASSENKREUZ,
OU CRUZDE RUAS DE ÁGUA) QUE UNE A REDE DE CANAIS DA EX-ALEMANHA

ORIENTAL COM A DA

ALEMANHA OCIDENTAL, COMO PARTE DO PROJETO DE REUNIFICAÇÃO DE AMBAS DESDE A CAÍDA DO
MURO DE BERLIN.

Engenharia Civil – Prof. Aiello Giuseppe Antonio Neto

Universidade Presbiteriana Mackenzie – PONTES - APOSTILA 1

4

CANAL -PONTE SOBRE O RIO ELBA

COM SEUS 918 METROS DE COMPRIMENTO, A PONTE-CANAL É TIDACOMO OBRA DOS
SUPERLATIVOS E UM PRIMOR DA ENGENHARIA, TENDO CONSUMIDO
CONCRETO E
DE

68.000 METROS CÚBICOS DE

24.000 TONELADAS DE AÇO. COMPORTA 132 MIL TONELADAS DE ÁGUA EM SUA CALHA

34 METROS DE LARGURA E 4,25 METROS DE PROFUNDIDADE E DEVE RESISTIR MESMO A

TERREMOTOS.

ESTE É O MAIOR VIADUTO
ARTIFICIAL

EUROPA ,

DA

QUE

CONECTA A PARTE LESTE DO CANAL

MITTELLANDKANALOESTE DO CANAL

COM

A

PARTE

ELBE -HAVEL-KANAL

SOBRE O RIO ELBA.

ANTES

DESTA

OBRA, OS NAVIOS
UMA VOLTA DE
RIO,

PRECISAVAM DAR

12 KM PELO PRÓPRIO

ATRAVESSANDO

ANTIQUADAS,

MAGNÍFICA

O

QUE

ECLUSAS
SIGNIFICAVA

PERDA DE HORAS NAS VIAGENS.

Engenharia Civil – Prof. Aiello Giuseppe Antonio Neto

CRUZAMENTO DE HIDROVIAS

UniversidadePresbiteriana Mackenzie – PONTES - APOSTILA 1

5

DEPENDENDO DO NÍVEL D’ÁGUA NO ELBA, OS NAVIOS MAIS CARREGADOS PRECISAVAM SE
LIVRAR DE PARTE DA MERCADORIA EM
EMBARCAÇÕES COM ATÉ

MAGDEBURG, PARA PODER PROSSEGUIR. ATUALMENTE,

1350 TONELADAS DE CARGA PODERÃO NAVEGAR SEM INTERRUPÇÃO DAS

BACIAS DO WESER E RUHR, NO OESTE, ATÉ BERLIM, E VICE -VERSA.

DEMOROU 5 ANOS PARA SER CONCLUÍDO.

A OBRA,...
tracking img