Policial

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 33 (8023 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Ação e Estratégia das Organizações Policiais
Cláudio C. Beato F.
Depto Sociologia e Antropologia da UFMG
claudiobeato@crisp.ufmg.br
Resumo
O objetivo deste artigo é discutir algumas estratégias comuns de atuação das polícias no
sentido de subsidiar a discussão sobre possíveis direções de reestruturação e reforma das polícias no
Brasil. Ao contrário das soluções maximalistas freqüentementepropostas que envolvem mudanças
constitucionais, irei argumentar em favor de soluções minimalistas no âmbito do gerenciamento e
das relações da polícia com o público.

Introdução
Os últimos anos foram pródigos na exposição de eventos que colocaram as polícias
brasileiras sob o foco da opinião pública. Aos episódios de Carandiru e Vigário Geral,
vieram somar-se os da Favela naval, emDiadema, e Cidade de Deus, no Rio, revelando um
quadro de brutalidade policial cujas raízes parecem ser mais profundas que o ato de
indivíduos isolados. Além disso, os recentes movimentos de reivindicação salarial
envolvendo as polícias estaduais brasileiras terminaram por adicionar um ingrediente
inédito na história das polícias brasileiras, e raro na história das polícias no mundo: uma
greve. EmMinas Gerais, justamente uma das força policiais mais respeitadas da federação,
o movimento teve componentes de violência que terminaram por propor dramaticamente
uma velha questão de sociologia política: Quis custodiet ipsos/Custodes? (“Quem guardará
os próprios guardas?”). Finalmente, mas não menos importante, o incremento das taxas de
criminalidade violenta nos grandes centros urbanos temcolocado cada vez mais em questão
a eficiência das organizações policiais em sua função de controle da criminalidade. A
polícia, o segmento mais visível do sistema de justiça criminal vê-se incapaz de lidar com o
acelerado crescimento da criminalidade urbana violenta durante os anos 80 e 90 (Beato et
ali, 1998. Soares et alii, 1996. Adorno, 1998. Feiguin, D. e Lima, R.S.: 1995. Caldeira, T.1992), bem como com a emergência do fenômeno complexo do crime organizado
(Caldeira, 1998). O resultado desta crise traduz-se na crescente impunidade penal (Coelho,
1988), na desarticulação entre os segmentos que compõem o sistema de justiça criminal
(Coelho, 1989. Paixão, 1993), na significativa desconfiança da população brasileira em
relação às instituições policiais e no impacto que esteconjunto de fatores tem sobre os
profissionais na área de segurança pública (Vox Populi, 1998).
Esses eventos terminaram por descortinar ainda uma preocupante situação de
natureza cognitiva: existe uma grande ignorância no Brasil em relação ao sistema de justiça
criminal em geral, e sobre as organizações policiais em particular.Esta perplexidade tem se
traduzido na incapacidade de pesquisadores eacadêmicos em formular soluções e propor
agendas positivas de reformulação das polícias que vão além das sugestões de controle das
polícias pela sociedade civil.
Diante deste quadro, algumas pessoas acreditam e propagam a necessidade de
reformas de natureza institucional das polícias, sugerindo assim que o próprio modelo de
policia atualmente vigente é que estaria em crise (Pinheiro, 1998).Assim, propõe-se ora a

unificação das polícias, ora a extinção pura e simples da polícia militar. Vou argumentar
neste artigo em favor de soluções mais minimalistas, a partir de meu ceticismo em relação
às soluções maximalistas freqüentemente propostas. Nesta matéria, a melhor maneira de
não se mudar nada, é mudar tudo, conforme tem sido demonstrado nos sucessivos e
dramáticos episódiosenvolvendo as nossas forças policiais. Acredito que modificações no
âmbito do gerenciamento das atividades policiais, na introdução de inovações tecnológicas,
nos mecanismos decisórios e de planejamento, nas estratégias em se encarar o problema da
criminalidade e violência nos grandes centros urbanos, além de uma modificação na relação
das organizações policiais com as outras agências do...
tracking img