Polias e engrenagens

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1764 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Tecnologia Mecânica

Alunos: Elton Bruno B. Lacerda
Rodrigo Tomaz Silva de Melo
Emerson Ferreira
Professora: Andrezza Carolina Carneiro Tomás
Curso: Mecânica Industrial – Seqüencial
Turma: 2º Período – Tarde








Correias

Na mecânica, correia é uma cinta de material flexível, normalmente feita de camadas de lonas e borracha vulcanizada, queserve para transmitir a força e movimento de uma polia a outras.
As correias podem ser, quanto ao perfil, das seguintes maneiras:


Correias lisas

São utilizadas geralmente para transmitir força em maquinas grandes, é o modelo mais simples de correias. Trabalham com grandes unidades de força e rotações até (500 hp com 10.000 rpm. Necessitam de alinhamento preciso das poliaspara que o sistema não se desencaixe, pois não possui bordas que a mantenha em seu local em casos de não alinhamento, além de polias especiais com centralizadores.
Correias dentadas
São modelos utilizado geralmente por motores de quatro tempos, onde não pode haver alteração na relação, o que ocasionaria falha nos tempos. A correia dentada é fabricada em material de plástico, sendo oelemento de tensão reforçado com cordel de
fibra de vidro e a parte posterior com tecido de poliamida. Uma capa intermédia resistente a altas temperaturas garante um rendimento ideal dos materiais utilizados. Os dentes também estão reforçados com poliamida, tendo em vista o aumento da sua resistência ao desgaste. Uma vez que a correia dentada não requer lubrificação, ao contrário do que aconteciacom a corrente de distribuição, não é necessário que o compartimento em que se encontra seja selado. Uma simples cobertura de plástico oferece uma proteção suficiente contra a penetração de impurezas.








Correias em 'V'

Foram desenvolvidas em 1917 por John Gates da Gates Rubber Company. Utilizadas por motores que necessitavam girar mais de duas polias (às vezes quatro),são construídas com matéria mais resistente devido o maior esforço. Trabalhava com rotações entre 1.000 e 7.000 rpm. A correia em V é inteiriça (sem-fim) fabricada com secção transversal em forma de trapézio. É feita de borracha revestida por lona e é formada no seu interior por cordonéis vulcanizados para absorver as forças.
Transmissão por correias planas
Essa maneira detransmissão de potência se dá por meio do atrito que pode ser simples, quando existe somente uma polia motora e uma polia movida; ou múltipla, quando existem polias intermediárias com diâmetros diferentes. A correia plana, quando em serviço, desliza e, portanto não transmite integralmente a potência.
A velocidade periférica da polia movida é, na prática, sempre menor que da polia motora. Odeslizamento depende da carga, da velocidade periférica, do tamanho da superfície de atrito e do material da correis e das polias. O tamanho da superfície de atrito é determinado pela largura da correia e pelo ângulo de abraçamento ou contato (α ) que deve ser o maior possível.
No acionamento simples, a polia motriz e a movida giram no mesmo sentido.
No acionamento cruzado as polias giram emsentidos contrários e permitem ângulos de abraçamento maiores, porém o desgaste da correia é maior.






A correia plana permite ainda a transmissão entre àrvores não paralelas.
 
[pic]
 
A Figura abaixo dá o arranjo típico de um acionamento comum por correia. A polia 1 tem diâmetro D1 e gira com velocidade angular ω1. E a polia 2 tem diâmetro D2 e gira com velocidade angularω2. Desde que a correia é supostamente inextensível, a velocidade tangencial v é a mesma em qualquer ponto. Da relação entre velocidade tangencial e angular (v = ωR) de o movimento circular, temos v = ω1 D1/2 = ω2 D2/2. Simplificando, temos a relação básica de velocidades angulares
ω1 / ω2 = D2 / D1 #A.1#.









Transmissão por correia em V
O emprego da correia em V...
tracking img