Poesia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3506 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
A educação básica no estado do maranhão

Kayenna Silva Nascimento dos Santos

Introdução

Este trabalho tem como objetivo esclarecer os diferenciais educativos presentes nas diversas regiões brasileiras. Neste artigo, a educação do estado  do Maranhão é abordada de acordo com os níveis de ensino, trazendo dados estatísticos e leis que tentam auxiliar na comprovação de informaçõesdistribuídas ao longo do texto. A proposta de comparar os argumentos e declarações, proferidas por instituições e por governantes, que sempre mostram números para comprovar a veracidade de suas ações,com uma reportagem transmitida no Bom Dia Brasil,serve para relacionar realidade e estatísticas da educação maranhense.

1 – Maranhão: Um estado de grandes contradições

Desde o momento de sua origem, oestado do maranhão tem sido um palco de lutas entre povos (espanhóis, franceses e portugueses), que visavam a posse do seu território.
Aproximadamente 500 anos transcorreram-se, desde o inicio da primeira luta pela posse do território maranhense até os dias atuais. Porém ainda é possível visualizar uma série de revoltas que acontecem nesse estado. Atualmente, de um lado, os grupos indígenas lutampara tentar manter a suas tribos e sua cultura, sendo, porém ameaçados pela presença de grandes latifundiários. Do outro lado a presença de revoltas do Movimento Sem Terra (MST) confirma, que as disputas pela posse de terra no Maranhão estão longe de se encerrar. O cotidiano das comunidades quilombolas do Maranhão também é mercado por disputas e conflitos envolvendo seus territórios. Um exemplo éa comunidade quilombola de Alcântara, que corre o risco de sofrer um deslocamento forçado de 1500 quilombolas pelo Centro de Lançamento de Alcântara (CLA).
Outra contradição presente nesse estado está na comparação do aspecto econômico e social. Enquanto que o Maranhão é o 4º estado mais rico do Nordeste, de acordo com o Produto Interno Bruto (PIB) e a 16ª maior economia do Brasil. Este estadopossui um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) igual a 0,683, superior apenas ao de Alagoas na lista dos estados brasileiros por IDH. Possuindo também a 2ª pior expectativa de vida do Brasil, também superior apenas a de Alagoas.

2 – A diversidade étnica e cultural da população maranhense

O Maranhão é um dos estados mais miscigenados do país, essa característica é resultado da grandeconcentração de escravos indígenas e africanas nas lavouras de cana-de-açúcar, arroz e algodão. Os grupos indígenas que ainda existem nesse estado são divididos através de dois troncos lingüísticos: Macro-Jê e Tupi.

Macro-Jê

– Timbira
– Kanela
– Krikati
– Gavião
– Kokuiregaejê
– Timbira do Pindaré
– Krejê

Tupi

– Guajajara
– Tembé
– Urubu-Kaapor– Awá-Guajá
– Guarani

3 – A história da educação no Maranhão no século XIX

Em 1851 o presidente provincial maranhense era Eduardo Olímpio Martins. Esse presidente foi considerado um administrador comprometido com a educação pública voltada para o atendimento segundo as suas próprias palavras “a todas as classes de cidadão”. Neste governo foram aplicadas algumas regras deorganização geral da instrução pública, fazendo-se perceber pela primeira vez a idéia de um sistema de ensino no Maranhão.
Dessa forma no contexto do século XIX, é possível encontrar iniciativas que visavam favorecer a ampliação da escolarização, contemplando todos os setores desfavorecidos socialmente.
Assim apesar do contexto escravista que colocava obstáculos legais à integração social dos negros eprincipalmente dos escravizados, não se pode afirmar que todos os descendentes de africanos que viveram no período tenham sido excluídos do acesso aos níveis de escolarização. Antes, pode-se concluir que especialmente os negros libertos e os mestiços, bem como seus descendentes estiveram inseridos em turmas de primeiras letras na província maranhense, a qual era constituída por uma população...
tracking img