Os novos arranjos familiares

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1020 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 13 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
SERVIÇO SOCIAL

SILVANIA CARVALHO BRUNNQUELL

título do trabalho

“OS NOVOS ARRANJOS FAMILIARES”

São Bento do Sul-SC
2011

SILVANIA CARVALHO BRUNNQUELL

título do trabalho
“OS NOVOS ARRANJOS FAMILIARES”

Trabalho apresentado ao Curso(serviço social) da UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para a disciplina Atividades Interdisciplinares.

Prof. Lisnéia Ramparazzo, Márcia Bastos, Sérgio Goes, Adarly Rosana.

São Bento do Sul-SC

03-06-2011

SUMARIO:INTRODUÇÃO.....................................................................PG 01

DESENVOLVIMENTO.........................................................PG 02

CONCLUSÃO......................................................................PG 05

BIBLIOGRAFIA....................................................................PG 06

INTRODUÇÃO:

Este trabalho tem por finalidade fazer uma avaliação sobre a família contemporanêa nosdias atuais, suas tranformações, os novos arranjos familiares, quais as políticas sociais, o papel do Estado frente as famílias que estão em vulnerabilidade social, porque ao lado das muitas transformações do mundo, também a família vem, se transformando.

As novas configurações familiares variam segundo a sociedade, pois a familia é composta por fatores conscientes e inconscientes, quedefinem a maneira pelas quais o mundo social é organizado.

DESENVOLVIMENTO:

As famílias brasileiras, como as demais(mundial), passam por inumeras transformações, e fazem parte de um processo de modernidade contraditório, a tendência é de uma diminuição no tamanho e uma maior diversificação nos arranjos domésticos e familiares.
As inúmeras mudanças pelas quais passamos nos levam a repensar afamília, o seu lugar e sua importancia na sociedade atual. A familia tradicional na sua maioria era composta por pai, mãe e filhos, o pai como provedor, a mãe cuidando da casa, do marido e dos filhos. Os filhos se inseriam nessa realidade inquestionável, tornando-se adultos iguais aos pais, casando-se e formando assim, uma nova família, quem não seguia essas regras sofria com o preconceito,
Apósanálise feita em meu município (Piên/PR) sobre os beneficiarios do Programa Bolsa Familia,foi-se constatado que 962 famílias estão cadastradas no programa sendo que 885 são ativas e 613 famílias estão recebendo o benefício e que 40% desse total são de familias monoparentais, onde geralmente é a mãe que se torna a provedora do lar. A conquista do espaço público, o controle da fertilidade e aexpanção da educação formal trouxeram transformações para a condição feminina. As redes sociais familiares se mostram um auxilio predominante, tanto para o cuidado dos filhos como para os afazeres domésticos nos momentos da ausencia destas mulheres no período em que estão em seus empregos. Estas redes sociais familiares são na sua grande maioria femininas, filha mais velha, avó, irmã, mãe etc. e secaracterizam por ser uma forma de socialização e compartilhamento de responsabilidades.Em estudos desenvolvidos no Brasil afirma-se que as mulheres que sustentam a casa desempenham mais atividades domésticas do que as mulheres dependentes economicamente de seus maridos, proporcionalmente ao tempo disponível que possuem.

Dentre as difilcudades vinculadas às responsabilidades das mulheres chefes defamília, a escassez de recursos financeiros foi ressaltada como uma dificuldade permanente. Tal escassez atribuida a fatores econômicos e sociais, mesmo sendo uma dificuldade predominante na maioria das vezes não ocasiona a privação de necessidads básicas, como por exemplo, a alimentação dos filhos.

A gravidade do quadro de pobreza e miséria, no Brasil, constitui permanente preocupação e...
tracking img