Nacionalismo - parte iii - hobsbawm

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 4 (973 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade da Amazônia – UNAMA

Ana Raquel Cordeiro

História das RelaçõesInternacionais I

Trabalho apresentado para a disciplina de História das Relações Internacionais I, ministrado pelo professor Raimundo William Tavares Jr, do curso de Relações Internacionais. Turma4 RIN 1. |




“A Era das Revoluções” capítulo 6 - III

Hobsbawm descreve o cenário do periodo da restauração no tópico III do capítulosexto de A Era das Revoluções, e inicia o texto, citando que havia diferenças ideológicas entre bonapartistas e republicanos, moderados e radicais mas que ambos mal podiam ser distinguidas em seusobjetivos, visto que protestavam contra uma classe que fazia mais mal que bem à sociedade, ocasionando assim um caos.
A luta neste cenário pode ser definida como: entre Reação e Revolução, onde aReação era formada por soberanos europeus que pretendiam propagar os princípios da Fé cristã e, no fundo, manter o absolutismo. Do outro lado, a Revolução, formada por diferentes classes sociais(integradas por minúsculos grupos de ricos e de pessoas cultas, a pequena burguesia - a maioria deles através dos escalões mais baixos do exército e do serviço público - e os pobres, que estavamconscientemente na esquerda e que aceitavam os slogans revolucionários clássicos da classe média, embora mais por causa de um certo tom de desafio social).* Motivação das revoluções

Essas classes decidiram se unir para tirar o poder do Rei e ceder ao povo o direito de cidadão,ou seja,fazer com que todo homem seja igual perante a lei, o que lembra a Revolução Francesa, afinal, as revoluções tiveram como inspiração esta revolução.
“O programa utilizado pela classe trabalhadora...
tracking img