Monografia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 28 (6771 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO CENTRO-OESTE

LICENCIATURA EM FILOSOFIA










ROSELY RODRIGUES PEREIRA













A ÉTICA EM ARISTÓTELES



















Taguatinga-DF
2005
ROSELY RODRIGUES PEREIRA



















A ÉTICA EM ARISTÓTELES






Trabalho de Conclusão de Curso –exigência parcial para a obtenção do grau de Licenciado em Filosofia.







Orientador: Professor Juraci da Rocha Cipriano













Taguatinga-DF
2005
Nome: Rosely Rodrigues Pereira
Título do trabalho: Ética em Aristóteles
Orientador: Professor Juraci da Rocha Cipriano
Ano: 2005




2. RESUMO



A felicidade consiste na plena realização das própriascapacidades. Partindo deste princípio, Aristóteles demonstra que a felicidade do homem não pode consistir nas riquezas, nem nas honrarias, nem nos prazeres, porque nenhuma dessas coisas representa a plena realização das capacidades humanas. O homem é um ser racional. Conseqüentemente o seu bem ou a sua felicidade (eudaimonia) deve consistir na atuação da razão, logo, a felicidade do homem consistena contemplação. Mas, não só na contemplação, porque o homem não é pura razão, nem puro espírito, mas também carne e sentidos. Para que o homem seja realmente feliz é necessário que sejam satisfeitas todas as suas faculdades, também as dos sentidos. A satisfação dos sentidos chama-se prazer. Logo, a verdadeira felicidade é constituída pelo prazer junto com a contemplação. O meio para se conseguira felicidade é a virtude. Por virtude Aristóteles entende “o hábito de escolher o justo meio”. Aristóteles divide a virtude em dois grupos principais: virtudes do intelecto ou dianoéticas e virtudes éticas ou morais. Quem se contenta com o exercício das virtudes morais é feliz, quem se dedica especialmente ao exercício das virtudes especulativas é felicíssimo. De modo geral, Aristóteles considerao exercício das virtudes morais como um meio que facilita o exercício das virtudes especulativas. A essência da felicidade consiste na contemplação.








PALAVRAS-CHAVE

Virtude, prazer, felicidade, contemplação.








SUMÁRIO





INTRODUÇÃO................................................................................................ 05

1. CONTEXTUALIZAÇÃOHISTÓRICA.............................................................. 06

2. A ÉTICA EM ARISTÓTELES.......................................................................... 08

2.1. A ética ................................................................................................ 08

2.2. Virtudes.............................................................................................. 11


2.3. Da Classificação das Virtudes Éticas ................................................. 15


2.4. Da Classificação das Virtudes Dianoéticas ....................................... 22


CONSIDERAÇÕES FINAIS ................................................................................. 24


REFERÊNCIASBIBLIOGRÁFICAS...................................................................... 26



















INTRODUÇÃO

A motivação inicial foi descobrir qual é o bem  que o ser humano busca para sua realização segundo o Estagirita.  As hipóteses encontradas na ética Aristotélica indicam a vida ideal como vivência das virtudes, junto com os  outros, e que essa vivência é a felicidade.
Justificamos  essetema pela necessidade de estudar o problema da ética nas relações humanas, pela necessidade de voltar ao início da ética e indicar os principais conceitos propostos por Aristóteles, ressaltando a relevância  desta proposta ética.
Entendendo a ética como a ciência dos costumes, a investigação racional sobre o agir humano, a assimilação subjetiva das razões e causas, pressupostos e premissas...
tracking img