Metodos cirurgicos de lca

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3484 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO

O Ligamento Cruzado Anterior (LCA), foi descrito por Galeno em 170 d.C., que definiu o “genu cruciata” como uma estrutura com função de estabilização da articulação do joelho. Mas o interesse por essa estrutura não se manifestou até 1850, quando Stark fez o primeiro relato de um caso de lesão do LCA que foi tratado conservadoramente. Desde então o tratamento da lesão do LCApassou por diferentes fases ao longo da história da cirurgia do joelho. No início o tratamento conservador, com órteses e reforço muscular, era amplamente difundido, principalmente para os casos cujo diagnóstico inicial tivesse sido negligenciado1.
Com o desenvolvimento de técnicas de anestesia, assepsia e terapia antibiótica a abordagem cirúrgica do tratamento da lesão do LCA começou a ganharespaço. Inúmeras técnicas operatórias foram criadas na época, mas a insatisfação com os resultados obtidos fez com que novas técnicas surgissem e fossem posteriormente modificadas. Essa evolução ocorreu devido à ampliação dos conhecimentos da anatomia e biomecânica do joelho, desenvolvimento dos trabalhos experimentais e o surgimento da artroscopia.
Atualmente conseguimos diagnosticar maisfacilmente as lesões do LCA e eventuais lesões associadas. Pela familiaridade com as técnicas operatórias atuais a abordagem dessas lesões se tornou eminentemente cirúrgica, embora a literatura ainda não apresente um consenso absoluto de quais seriam os pacientes que precisariam ser tratados cirurgicamente.
O objetivo deste artigo é mostrar alguns parâmetros que possam ser levados emconsideração no momento de decidir qual tratamento deve ser escolhido e apresentar de maneira breve as técnicas mais utilizadas e quais as suas indicações específicas.




SELEÇÃO DOS PACIENTES PARA O TRATAMENTO CIRÚRGICO

O LCA é o principal estabilizador da translação anterior da tíbia em relação ao fêmur, função essa auxiliada pelos restritores secundários, ligamentos capsulares emeniscos. No joelho com insuficiência do LCA os restritores secundários e os meniscos são mais solicitados na sua função de estabilização, com chance de se afrouxarem ou apresentarem lesões. Existem inúmeros trabalhos na literatura que mostram pacientes com lesão do LCA tratados conservadoramente que apresentam uma boa evolução e outros que evoluem para uma artrose precoce devido ao desenvolvimentoou agravamento de lesões condrais e meniscais, secundárias à frouxidão existente. Quando avaliamos um paciente que sofreu lesão aguda do LCA resultante de uma entorse no joelho é importante tentarmos identificar em qual dos dois grupos evolutivos esse paciente se encaixa, para indicarmos o melhor tratamento cabível. Evidentemente não temos o poder prevermos o futuro, mas podemos considerar algunsfatores que indicam as chances desse paciente evoluir para uma frouxidão sintomática.

FATORES INTRÍNSECOS

ÍNDICE INTERCONDÍLEO
O índice intercondíleo é o resultado da divisão da distância intercondílea pela distância entre os epicôndilos, medidas na radiografia na posição para túnel intercondíleo2. Os pacientes portadores de lesão do LCA que apresentam índices inferiores a 0,2 têm umachance maior de evoluir para instabilidade anterior do joelho. Rezende e col.3 observaram que os indivíduos com instabilidade anterior do joelho, apresentavam um índice intercondíleo menor que o dos indivíduos normais do grupo controle.

INCLINAÇÃO DO PLANALTO TIBIAL
Pereira e cols.4 observaram que a inclinação posterior aumentada do planalto tibial favorece o desenvolvimento de instabilidadeanterior do joelho. O aumento da inclinação facilitaria o deslizamento posterior do fêmur durante o apoio do membro, causando desta forma uma anteriorização da tíbia a cada passo.
DESVIO ANGULAR EM VARO

O LCA juntamente com o complexo ligamentar póstero lateral são os responsáveis pela estabilização lateral do joelho. Essas estruturas normalmente são solicitadas na fase de apoio da marcha, mesmo...
tracking img