Metabolismo dos lipideos

17/10/2012

Metabolismo

Ácidos graxos e triacilgliceróis

Lipídios
• Lipos, em grego, significa gordura. • Alta solubilidade em solventes orgânicos e praticamente insolúveis em água. • Encontram distribuídos em todos os tecidos, principalmente nas membranas celulares e nas células de gordura.

1

17/10/2012

Lipídios
Ácidos graxos

Triacilgliceróis
GlicerofosfolipídeosEsfingolipídeos
Esteróides Outros lipídeos

Lipídios

2

17/10/2012

Funções dos Lipídios
• São componentes essenciais de membranas biológicas (bicamada lipídica) – fosfolipídeos e colesterol. • Reserva energética – triacilgliceróis. • Eventos de sinalização intra e intercelular prostaglandinas.

Metabolismo dos Lipídios
• Fonte de obtenção  Dieta  Síntese endógena • • • TransporteFinalidade
– Triacilgliceróis – Excesso de Carboidratos, Proteínas e Lipídios – Lipoproteínas plasmáticas – Oxidação – Armazenamento (principalmente tecido adiposo) – 20% do peso corpóreo
• Massa 100 vezes maior que o glicogênio hepático • Armazenamento na forma anidra (ausência de água)

Triacilgliceróis

3

17/10/2012

Ácidos graxos
• Nos tecidos, temos níveis baixos de ácidos graxoslivres, porém, pode-se encontrar quantidades substanciais no plasma, em especial no jejum.
• Ácidos graxos no plasma (transportados pela albumina sérica) estão circulando a partir da origem: – (triacilgliceróis do tecido adiposo ou das lipoproteínas da circulação) para o sítio de consumo (outros tecidos).

Ácidos graxos
• Ácidos graxos livres podem ser oxidados por muitos tecidos –especialmente fígado e músculo – para produzir energia. • Ácidos graxos – triacilgliceróis são armazenados nas células adiposas e servem como a principal reserva energética do organismo.

4

17/10/2012

ESTRUTURA DOS ÁCIDOS GRAXOS
Um ácido graxo consiste em uma cadeia hidrofóbica de hidrocarbonetos com um grupo carboxila terminal. CH3(CH2)n
Cadeia hidrocarboneto Hidrofóbica

COO

-

Grupocarboxílico Hidrofílico

Natureza anfipática

ÁCIDOS GRAXOS SATURADOS E INSATURADOS
• São compostos formados por cadeias de átomos de carbono ligados a hidrogênio, presentes em gorduras e óleos. • Podem ser classificados de acordo com o tamanho ou com o tipo de ligação da cadeia de hidrocarboneto. – (saturados, mono e poliinsaturados).

5

17/10/2012

ÁCIDOS GRAXOS INSATURADOS
 Aposição de qualquer uma das ligações duplas é especificada por números na forma sobrescrita na letra grega delta (∆).  Um ácido graxo com 20 C, tendo 2 ligações duplas, uma entre os C9-10 e outra entre os C1213 será escrito: 20:2(∆9-12)

Degradação
Triacilglicerol

Lipases

Ácido Graxo Glicerol Gliceraldeído 3 P Acetil-CoA

Ácido cítrico
Glicólise Gliconeogênese Ciclo de Krebs

AcetoacetatoCorpos Cetônicos

6

17/10/2012

Catabolismo dos AG
Oxidação de AG em acetil-CoA
Grande liberação de energia

Energia para fígado e coração

Ciclo do Ác. cítrico

Acetil-CoA convertida em Corpos cetônicos

Cadeia respiratória

Combustível hidrossolúvel exportado para o cérebro e outros tecidos na ausência de glicose

Degradação dos Triacilgliceróis (TG) do Tecido AdiposoLipase dos adipócitos
Hidrólise de TG’s

Armazenados principalmente no tecido adiposo

Glicerol + Ácidos graxos

7

17/10/2012

Degradação dos Triacilgliceróis (TG) do Tecido Adiposo
• Glicerol não é aproveitado no tecido adiposo. • Ausência da glicerol quinase
– Liberação na circulação – Captação pelo fígado (principalmente)
• Conversão em intermediários da glicólise ougliconeogênese

Degradação dos Triacilgliceróis (TG) do Tecido Adiposo
• Ácidos graxos liberados
• Fígado e músculos

– Transporte associado à albumina; – Utilizados como fonte de energia.
• Hemácias e Tecido nervoso
– Glicose como fonte energética

8

17/10/2012

Degradação dos Ácidos Graxos
• Processo denominado de β-oxidação.
Processo catabólico de ácidos graxo. Eles sofrem remoção,...
tracking img