Logistica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1035 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic] |Disciplina
Comunicação e Expressão |Docente
Luiz Roberto Wagner |[pic] | |
| |Semestre |Data | |
| |I |05/09/2007 ||
| |ATIVIDADE – Aula 1 | |


Tema 1 - Apreensão e Compreensão de Sentido

Crase – Origem e Emprego


OBS: Esta é uma atividade preparatória para a aula 1, visando desenvolver a capacidade analítica do aluno e, sobretudo, incentivar aleitura prévia da apostila. Essa atividade deverá ser desenvolvida em sala de aula e em equipe, reforçando-se a importância do trabalho em grupo para o administrador. Portanto, será avaliada a participação do aluno, pois os conceitos serão esclarecidos, em seguida, na aula de videoconferência. Entretanto, deve-se destacar o papel do tutor na aplicação dessa atividade, visto que ele possuiorientações específicas para tal.


Leia o texto de Pasquale Cipro Neto, publicado na Folha de S. Paulo (16-08-2207)
"Se a prática leva à perfeição..."

Hoje restrito a indicar a ocorrência da crase, o acento grave já teve um segundo papel, extinto em 1971


EM SEU VESTIBULAR de janeiro deste ano, a PUC-SP pediu aos candidatos que analisassem alguns aspectos desta frase, integrante de uma peçapublicitária veiculada em jornais impressos: "Se a prática leva à perfeição, então imagine o sabor de pratos elaborados bilhões e bilhões de vezes".


Uma das questões tinha esta formulação: "Em referência ao trecho "Se a prática leva à perfeição...", acerca da crase (no caso, a junção da preposição "a" com o artigo feminino "a'), é lingüisticamente adequado afirmar que sua ocorrência é: a)inadequada, pois, além de não haver junção de preposição com artigo, não altera o sentido do que é dito; b) facultativa, porque, mesmo havendo a junção de preposição com artigo, não altera o sentido do que é dito; c) necessária, pois além de haver a junção de preposição com artigo, sugere que a prática seja resultante da perfeição; d) necessária, pois, além de haver a junção de preposição com artigo,sugere que a perfeição seja resultante da prática; e) facultativa, porque, indiferentemente de haver ou não junção de preposição com artigo, crase é uma questão estilística".


Por falar em crase, convém lembrar que o acento que indica sua ocorrência se chama "grave". Esse acento, hoje restrito a esse papel (o de indicar a ocorrência da crase, ou seja, da fusão da preposição "a" com um segundo"a"), já teve um segundo valor, extinto em 18/12/1971. Os mais velhos talvez se lembrem de que até 1971 o acento grave era usado em palavras derivadas cujas primitivas tivessem acento agudo.
Na verdade, o acento grave era usado na mesma sílaba em que a primitiva tinha acento agudo. Tradução: até 18/12/1971, escrevia-se "cafèzinho", "sòmente", "pèzito" etc.
Ninguém sente falta desse papel doacento grave, sente? Não se pode fazer a mesma afirmação em relação ao caso abordado pela banca da PUC-SP. Em "Se a prática leva à perfeição...", o acento grave (indicador de crase) é fundamental para a definição do sentido. Sem ele, afirmar-se-ia que a prática carrega a perfeição, elimina-a, leva-a embora.
Parece claro que o acento indicador de crase é mesmo necessário para que se transmita a idéiadesejada. No caso, ele ocorre essencialmente porque se dá a junção da preposição "a" (que o verbo "levar" rege quando tem o sentido de "conduzir") com o artigo "a", determinante do substantivo feminino "perfeição".


A (boa) idéia da banca de juntar o aspecto estrutural (a regência do verbo "levar" etc.) com o semântico (a alteração de sentido que a ausência do acento acarretaria) esbarra num...
tracking img