Livro por mares ha muito navegados

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 113 (28208 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Livro: Por mares há muito navegados

Autor: Álvaro Cardoso Gomes

Editora: ática

1ª edição

Ano: 2004

Transcrito por: Anair
Meirelles

Uso exclusivo dos alunos
do Instituto Santa Luzia

Emoção e poesia a bordo

Naquele fim de ano, Dedé estava de cabeça quente. O novo professor de português não queria nem saber: mandou ler Os Lusíadas, de Luis de Camões,inteirinho até
a volta às aulas.
Sabe o que isso queria dizer? Que a viagem de veleiro que seu pai, Walmyr, planejava fazer pelo oceano nas férias estava indo por água abaixo. Pelo menos para
Dedé. Não por falta de esforço: mal soube da tarefa, começou a ter aulas particulares com Teto, um universitário que costumava ajudá-lo nos momentos difíceis. Mesmo
assim, não ia dar tempo...
Walmyr, noentanto, quer muito a companhia do filho. Resolve então unir o útil ao agradável: convida Teto a ir com eles, para continuar as aulas a bordo.
O jovem, muito tímido, pensa em recusar a oferta, as fica sabendo que Catarina,
prima de Dedé, também vai com eles. Que tentação! Teto ainda é apaixonado por ela, sua ex-colega de escola. Quem sabe a viagem é a grande chance que ele esperava
para abrir ojogo com ela?
Alem disso, a aventura também estimula sua outra paixão: a literatura. Teto encanta-se com os planos de Walmyr: refazer o trajeto da heróica viagem de Vasco da
Gama até as Índias, em 1498, assunto principal dos versos de Os Lusíadas.
Após zarparem, Camões vira febre no veleiro San Gabriel. Ao saber que aqueles mares tinham tanta história para contar, todos se empolgam pelaliteratura de Teto
e Dedé. Ainda mais quando começam a acontecer estranhas coincidências entre as duas viagens...
Episódio após episódio,
Dedé, Walmyr, Catarina e os demais navegantes percebem a grandeza de Os Lusíadas, que, apesar de ser escrito numa linguagem diferente da utilizada nos dias de hoje,
permanece uma referência fundamental da nossa literatura. Além de contemplar questõesuniversais, que não envelhecem nem perdem o sentido ao cruzar fronteiras. Ou
a coragem com que Vasco da Gama desbrava os mares não é u, símbolo do irresistível desejo humano de sondar o desconhecido?
Em Por mares há muito navegados, enfim, o leitor navegará por águas de aventura e poesia. Sem o menor risco de naufragar, pois contará com a bússula das notas
e esclarecedoras do escritor Álvaro CardosoGomes, um estudioso da Literatura Portuguesa. Que conhece muito bem, portanto, a poesia de Camões. Vamos, então, sem
demora: velas ao vento!

(p. 9)

As armas e os barões assinalados
Que, da Ocidental praias Lusitana,
Por mares nunca dantes navegados,
Passaram ainda além da Taprobana.
Camões, Os Lusíadas, Canto I

1

Umas férias complicadas

Podem umas férias setornar um problema?
Esta é uma pergunta que lhe faço, caro leitor, logo na abertura deste livro que começo a escrever. Se você ainda é jovem, tenho quase certeza de que dirá:
-- Problema? Que é isso, cara? Problema é o tempo que falta pras férias!
Mas para o nosso amigo André, ou como ele é conhecido em casa e na escola, o
Dedé, a proximidade das férias, por incrível que pareça, já o vinhaatormentando há algum tempo. Explico o porquê. Era que ele tinha uma grande tarefa pala frente,
uma tarefa imposta pelo professor Leonardo. Parece que é norma em qualquer escola que se preze que aulas são aulas e férias são férias. Elas nunca misturam departamentos.
Os estudantes estudam muito durante as aulas (quando estudam é bem verdade) e, durante as férias, querem é refrescar a cabeça.Esquecer matemática, português, história,
sei lá mais o quê, para se concentrar no que realmente vale a pena, na opinião de quem é jovem. E o que vale a pena depende da pessoa. Uns só querem saber de surfar,
outros de jogar futebol, tênis, vôlei, até se arrebentar, outros de passar o dia andando de skate, outros, na gíria de vocês, "dando umas bandas, dando um role por
ai", outros ainda, os...
tracking img