Literatura comparada

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1226 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
CÁSSIO EUSTAQUIO GONÇALVES

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE LITERATURA COMPARADA–
BRASÍLIA DE MINAS - MG

Trabalho apresentado ao Curso Letras-Português/ Literatura da UCB - Universidade Castelo Branco, para a disciplina de Literatura Comparada em sob orientação da professor Valdemar Ferreira Valente Jr. Tutor de Sala: Miguel Ferreira de Aquino

Brasília deMinas/MG

2011

Estudo comparativo de textos literários brasileiros

Justificativa

O objeto de análise, portanto, serão dois grandes poemas da literatura brasileira, Canção do Exílio de Gonçalves Dias e Canto de Regresso à Pátria de Oswald de Andrade. Vale ressaltar ainda que a análise em questão liga-se ao conteúdo dos poemas, suas diferenças e semelhanças. O texto-base é o deGonçalves Dias, ou seja, ele é a matriz que originou o de Oswald de Andrade, este, é o comparativo entre essas obras no tempo e espaço.

Introdução

Todo discurso está sujeito ao dialogismo, em palavras mais simples, toda manifestação da linguagem pode ser permeada pelo discurso de outrem. Não sendo exclusivo do texto escrito, mas também, verbal, gestual, pictórico, etc. As obrasliterárias não fogem à regra, muitas dialogam com outras, podendo esse fenômeno ser intencional ou não. É, pois, a direção provável de qualquer discurso vivo.
Na concepção bakhtiniana de linguagem, todo discurso, por meio de várias direções ou em seu caminho até o objeto, encontra-se com outros discursos e participa com eles de uma interação viva e intensa. É, pois um fenômenoinerente a qualquer e todo discurso. (BAKHTIN, 1988, p.88)
Tomando esse conceito, percebemos que um discurso está sempre permeado por outros discursos anteriores a ele, ou seja, há uma influência constante dos discursos alheios dentro de um discurso próprio.
José Luiz Fiorin em seu Introdução ao pensamento de Bakhtin expõe o assunto com maestria no segundo capítulo sobre odialogismo. O autor aponta duas formas de manifestação do dialogismo, o constitutivo que não se mostra no fio do discurso, é uma incorporação das vozes de um discurso dentro de outro, essa incorporação não é visível, mistura-se; e o dialogismo composicional, que apresenta maneiras de demonstrar o uso do discurso de outrem através de maneiras externas e visíveis. (FIORIN, 2006, p.32).O que vai interessar nessa pesquisa é a forma de dialogismo composicional,, que apresenta mecanismos externos e visíveis para demonstrar essa influência nítida do discurso de outrem no discurso próprio, é o chamado discurso alheio não demarcado, em que "o discurso é bivocal, internamente dialogizado, em que não há separação muito nítida do enunciado citante do citado" (FIORIN, 2006, p. 33).O poema "Canção do exílio" foi escrito pelo poeta brasileiro Gonçalves Dias em 1843, na cidade de Coimbra, sendo primeiros poemas do livro "Primeiros Cantos". Trata-se da obra prima desse poeta brasileiro, pertencente à primeira geração romântica, como um dos mais famosos poemas da língua portuguesa no Brasil.
O segundo poema é o "Canto de regresso à pátria", escritopelo poeta, ensaísta e dramaturgo brasileiro Oswald de Andrade. Ele foi um expoente e promotor da Semana de Arte Moderna de 1922, na cidade de São Paulo, e pertenceu à primeira geração modernista. Oswald de Andrade foi considerado, já em sua época, o mais rebelde de seu grupo.
Na análise do poema gonçalino, verifica-se que todos os versos estão metrificados na classificação de setesílabas poéticas – ou seja, redondilha maior – o verso de sete sílabas é o mais simples, do ponto de vista da metrificação. É talvez por isso que ele seja tão comum nas cantigas de roda e canções populares, uma vez que é muito fácil de cantar. Assim, conclui-se que a "Canção do exílio" é uma cantiga que se destina a contemplar e exaltar a natureza, características da primeira geração romântica....
tracking img