Linguagem coloquial

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (614 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
A linguagem coloquial é aquela que é usada no dia a dia, com nossos familiares, parentes e amigos mais intimos.
Ex:
iaí amigo, belaza?
- moleque, ta só o filé oh!
rapá bora dar um rolé maistarde?
-fexou!!! já é.

E a linguagem culta é aquela utilizada no dia a dia de empresarios, juizes, gestores, etc.
Ex: Obs: (NESSE EXEMPLO SE USA DEMOSTRAÇÕES DE UM TEXTO NO COLOQUIAL E EM LING.FORMJAL OK!)
Gilmar Mendes:
- Oi, senador, tudo bem? Só agora pude retornar sua ligação, desculpe.
Demóstenes:
- Que é isso, ministro? Tudo bem.
Gilmar:
Muito obrigado pelas suas declarações.Demóstenes Torres:
Esse pessoal tá (ao invés de está) maluco. Impeachment? Isso é coisa pra (ao invés de para que é menos coloquial) bandido, não pra (para não é coloquial) presidente do Supremo. Podematé discordar do julgado, mas impeachment...
(Embora eu, como dramaturgo nunca me permitisse uma fala assim: “impeachment? Isso é coisa pra bandido.” Nunca soube de nenhum bandido que sofreuimpeachment.)
Gilmar:
- Querem fazer tudo contra a lei, Demóstenes, só pelo gosto...
Demóstenes:
- A segunda decisão foi uma afronta à sua, só pra (aqui ele usou o pra. Por que não usou antes nem depois?)te constranger, mas, felizmente, não tem ninguém aqui que embarcou nessa "porra-louquice". Se houver mesmo esse pedido, não anda um milímetro. Não tem sentido.
Gilmar:
- Obrigado.
Demóstenes:
-Gilmar, obrigado pelo retorno, eu te liguei porque tem um caso aqui que vou precisar de você. É o seguinte: eu sou o relator da CPI da Pedofilia aqui no Senado e acabo de ser comunicado pelo pessoal doMinistério da Justiça que um juiz estadual de Roraima mandou uma decisão dele pro (para o não é termo coloquial) programa de proteção de vítimas ameaçadas pra (para não é coloquial) que uma pessoaprotegida não seja ouvida pela CPI antes do juiz.
Obs.: Esta fala é muito longa para caber dentro de uma conversa coloquial. Em geral, isto acontece nas falas escritas.
Gilmar:
- Como é que é?...
tracking img