Libras

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2067 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE ANHANGUERA – UNIDERP

CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

POLO HORTOLÂNDIA

LIBRAS

Jayane da Silva Lima RA: 355930

Marcela de Fátima Tardivo RA: 371195

Maria Aparecida TeixeiraRA 389116

Simoni Natasha Espinasse dos Santos RA:402132

Vanessa Aparecida Baldovinotti Soria RA: 353535

Professora tutora presencial: Ana Paula de Carvalho Tomaz
Professora tutora à distância: Dra. Lilian Cristine

Hortolândia / SP
2012

Índice

Língua Brasileira de Sinais
1. A temática da surdez em seuaspecto medico,cultural e social sobre Libras e a Cultura Surda em seus aspectos.

2. Elaborar atividades pedagógicas para alunos surdos e\ou alunos com deficiência auditiva

3. Definir procedimentos e recursos de ensino adequados a determinado público-alvo, a partir de uma reflexão sobre avaliação do processo ensino-aprendizagem.

4. Compreender a função da avaliação no processo ensino- aprendizagem, ao obter condições de elaborar instrumentos de coleta de dados para avaliação de aprendizagem.

Considerações Finais


Língua Brasileira de Sinais

A trajetória dos surdos sempre foi muito difícil, pois na antiguidade as pessoas surdas não eram consideradas pessoas competentes, ao contrario, eram isoladas da sociedade sob o argumento de que o pensamento não podia sedesenvolver sem a audição. Quem não ouvia não falava e não pensava.
Esse tipo de pensamento só mudou na idade moderna no século XVI. O médico italiano Girolamo Cardoso, declarou que os surdos podiam sim receber instruções e afirmava que essas pessoas podiam aprender a escrever sem falar.
A partir daí muitos educadores criaram condições para os surdos se comunicarem, como Pedro Ponce deLeon, Juan Pablo Bonet.
Na idade contemporânea surgiu uma visão clínica equivocada a respeito da surdes, eles acreditavam na cura da surdes, acreditavam que se um surdo conseguisse falar automaticamente seria restaurada sua audição.
No entanto após dezesseis anos de tentativas frustradas o medico Jean Flard rendeu-se ao fato de que os surdos poderiam aprender a linguagem de sinais.
Em umcongresso em 1880 foi declarado à superioridade do método oral puro sobre o uso de sinais e provocou grande revolta entre professores ouvintes e surdos.
Esse evento teve um grande impacto sobre a educação, pois além de durar mais de cem anos os surdos foram subjugados as práticas ouvintistas,ou seja, somente a linguagem oral deveria ser aprendida pelos surdos.
O oralismo (o ensino parasurdos baseado na comunicação oral) foi o modelo educacional adotado durante um século, ou seja, os surdos deveriam ter uma identidade comum com os ouvintes, ou seja, língua.
No inicio do século XX, já se falava do insucesso do oralismo e os surdos que não conseguiam se adaptar ao sistema de linguagem era considerado deficientes mentais.
Enfim só a partir da década de 60 deste século alíngua de sinais foi reconhecida depois dos trabalhos de Willian Stokoe, linguista americano que apresentou a língua de sinais como uma língua legítima, com estrutura própria.
Geraldo Cardano, que era matemático, médico e astrólogo italiano, desenvolveu investigações sobre a condutibilidade. Ou seja, foi o primeiro educador de surdos e segundo esse educador a educação dos surdos é bastantesemelhante no que diz respeito ao ensino através da escrita.
Com tudo hoje existe leis quem amparam principalmente os direitos lingüísticos dos surdos com o reconhecimento das libras (língua brasileira de sinais), ou seja, leis e decretos governantes que começam a fazer parte da vida de todos os cidadãos brasileiros.
A legislação garante o direito lingüístico dos surdos e garante o acesso e a...
tracking img